Uma pesquisa da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), associação que representa 80 empresas que comercializam produtos de vida e previdência, revelou que os brasileiros têm mais seguros de vida que planos de previdência. E isto vale para todas as classes:

  • - na classe AB, o seguro bate a previdência em 8 pontos percentuais (18% das residências tem seguro, contra 10% de planos de previdência);
  • - na classe C, 6% das residências têm seguro, contra 4% em previdência;
  • - e na classe DE, o seguro de vida e de acidentes pessoais já está presente em 2% dos lares.

Mas afinal, o que é melhor? Ter um seguro de vida ou um plano de previdência?

Na verdade, estes dois produtos financeiros têm objetivos bem diferentes.

Seguro de Vida:

O seguro de vida tem por objetivo proteger ou dar uma garantia para a sua família ou dependentes em caso de algum problema com você (morte, invalidez, etc.). Ou seja, o benefício não será necessariamente seu, diretamente, mas servirá de suporte para aquelas pessoas que são importantes para a sua vida.

Portanto, se você é solteiro e não tem dependentes, talvez o seguro de vida não seja o mais importante produto financeiro a ser adquiro. O mesmo se aplica se você tem família ou dependentes, mas já acumulou um patrimônio suficiente para garantir o suporte a eles.

Seguro de Acidentes:

Uma outra modalidade de seguro é a de acidentes. Este seguro pode ser interessante mesmo se você não tenha dependentes, mas depende do seu trabalho diário para ganhar o seu sustento (caso típico dos profissionais autônomos como dentistas, arquitetos, etc.). Para estas pessoas, um acidente irá impedir a realização do trabalho e, consequentemente, não haverá entrada de dinheiro. Neste caso, o seguro irá ajudar no sustento do próprio segurado durante a sua recuperação.

Previdência:

Na previdência, o dinheiro “aplicado” será revertido para benefício próprio, mas no futuro. É uma forma de acumular um patrimônio próprio para ser usufruído por si mesmo.

Mas aqui também há exceções. Por exemplo, há Planos de Previdência com objetivo de acumular dinheiro suficiente para o pagamento da faculdade dos filhos ou somente para juntar uma reserva de dinheiro para os filhos. Funciona quase como um seguro, já que o beneficiário será o seu filho(a).

 

Outras diferenças:

Além destas diferenças ‘conceituais’, há diferenças grandes com relação às condições de contratação, pagamento e recebimento do benefício de cada um destes produtos.

Os produtos de Previdência também oferecem benefícios com relação ao Imposto de Renda, mas é preciso entender bem quais são as regras.

Enfim, não é uma decisão simples, mas vale a pena comparar, discutir e trocar ideias ante de tomar uma decisão!