(Atualizado com a nova Taxa Selic de 13,75% definida em 03/jun/2015)
Com o novo aumento da Taxa Selic definida nesta última reunião do COPOM de 03/jun/2015, a caderneta de poupança perde ainda mais a sua atratividade frente aos demais investimentos de renda fixa de baixo risco. Produtos como CDB, LCI e LCA com taxas atreladas ao CDI e o Tesouro Selic (LFT, indexada pela taxa Selic) do Tesouro Direto tornam-se ainda mais atraentes, principalmente em um cenário de grandes incertezas como se apresenta neste ano de 2015.

 

Poupança x lci x fundo x cdb - Imagem

Novo aumento da Taxa Selic torna a poupança ainda menos competitiva em relação a outros investimentos de baixo risco

 

Com a elevação da Taxa Selic de 13,25% para 13,75% ao ano, atingiu-se o maior patamar desta taxa de juros desde janeiro de 2009, quando foi reduzida de 13,75% para 12,75%. Para ilustrar, mostramos abaixo a evolução da Taxa Selic desde o início de 2003.

 

Histórico meta Taxa Selic jun-15

Histórico meta Taxa Selic jun-15

 

Em relação à questão do melhor investimento de baixo risco com esta nova Taxa Selic, não há uma resposta única que sirva a todos os casos. As alternativas variam muito de acordo com o valor disponível para investimento, o prazo, o risco e a instituição financeira, entre outros fatores. Para ajudar, montamos uma tabela com as projeções de rendimentos para diversas aplicações de baixo risco (Poupança nova, LCI, CDB-DI, Fundo DI, e LFT) e diferentes prazos. As projeções para a LCI também valem para a LCA, pois ambos os títulos têm características semelhantes. Para facilitar os cálculos, utilizamos os seguintes parâmetros:

- Taxa CDI constante de 13,63% ao ano;
– Taxa Selic (meta) constante de 13,75% ao ano;
– Taxa Selic constante de 13,65% ao ano;
– Mês padronizado de 21 dias úteis;
– LCI e LCA são exibidas com rendimentos entre 80% e 95% do CDI. Pode haver instituições oferecendo taxas mais baixas (grandes bancos) ou taxas mais altas (bancos pequenos, com maior risco de crédito);
– Fundos DI são apresentados de acordo com as taxas de administração de 0,5% a 5% ao ano, e rentabilidade bruta (sem descontar a taxa de administração) de 102,2% do CDI;
– CDBs são apresentados de acordo com o rendimento contratado, entre 80% e 105% do CDI;
– Tesouro Selic (LFT) é apresentado para diferentes taxas de corretagem (0% a 0,5%) e as rentabilidades projetadas já se encontram líquidas da taxa de custódia cobrada pela BM&F Bovespa de 0,30% ao ano. Não consideramos eventual ágio ou deságio na negociação dos títulos.

 

Para facilitar a comparação, os valores que estão em fundo verde escuro são aqueles que apresentam rendimento superior ao CDI. Em verde claro, estão aqueles que renderam mais do que a poupança, mas menos do que o CDI para o mesmo prazo de investimento. As rentabilidades apresentadas são nominais (sem descontar a inflação) e líquidas de imposto de renda.

 

Poupança x LCI-LCA x Fundos DI x CDB-DI x Tesouro Selic jun-15

Poupança x LCI-LCA x Fundos DI x CDB-DI x Tesouro Selic jun-15

 

Um ponto importante a destacar é que tanto a LCI quanto a LCA rendem mais do que a poupança mesmo a uma taxa de 80% do CDI. Assim, se o investidor não precisar do dinheiro em menos de 90 dias (dependendo do contrato), é quase certo que será melhor negócio investir em uma LCI do que na poupança. Da mesma forma, o investimento no Tesouro Direto em Tesouro Selic também será melhor negócio do que investir na poupança.

 

- Tesouro Direto: em qual título devo investir?

 

Poupanças x LCI x LCA x Fundo DI x CDB x Tesouro Selic

LCI, LCA, CDB-DI, fundos DI e Tesouro Selic ampliam vantagem em relação à poupança

 

Para os que não conhecem bem estas modalidades de investimento, apresentamos a seguir algumas características importantes destes produtos financeiros:

 

1 – Poupança nova

– Refere-se aos depósitos realizados a partir do dia 04/05/2012.
– Cobertura do FGC (até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira)
– Isenção de imposto de renda para pessoas físicas
– Resgates fora da data de aniversário não pagam juros entre a última data de aniversário e a data de resgate. Repare que se você for aplicar seus recursos por 1,5 meses ao invés de 1 mês, é possível que um fundo DI com taxa de administração mais alta renda mais do que a poupança
– Aceita aplicações de valor baixo

 

2 – LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

– Cobertura do FGC (até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira)
– Isenção de imposto de renda para pessoas físicas
– Resgates antes do vencimento ou antes do prazo de carência não pagam juros
– Resgates podem ser feitos a partir de 90 dias (quando indexada ao CDI), a depender do contrato
– Aplicação inicial costuma exigir valores altos, geralmente a partir de R$ 30 mil. Banco do Brasil aceita investimento inicial em LCI a partir de R$ 1 mil

 

3 – Fundos DI

– Não há cobertura do FGC, mas o patrimônio do fundo pertence aos cotistas e está segregado dos ativos do banco
Imposto de renda pela alíquota regressiva (15% a 22,5%). Há cobrança semestral de 15% sobre os ganhos (“come-cotas”)
– Normalmente, permite resgates em qualquer data sem perda de juros
– Aplicação inicial: em geral, quanto maior o valor, menor é a taxa, o que implica em maior rentabilidade

 

4 – CDB-DI (Certificado de Depósito Bancário – DI)

– Cobertura do FGC (até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira)
– Imposto de renda pela alíquota regressiva (15% a 22,5%)
– CDBs com carência apresentam restrições nos resgates antecipados, porém costumam oferecer melhor rentabilidade. CDBs com liquidez diária não apresentam restrições nos resgates, mas tendem a oferecer menor rentabilidade
– Aplicação inicial: em geral, quanto maior o valor, melhor a rentabilidade.

 

5 – Tesouro Selic (LFT – Letra Financeira do Tesouro)

– Título Público Federal indexado à Taxa Selic
– Pessoas físicas podem comprar ou vender este título através do Tesouro Direto
– Vendas feitas pelo investidor agora podem ser feitas todos os dias (antes, era somente às quartas-feiras)
– É necessário ter conta em corretora para negociar
– Imposto de renda pela alíquota regressiva (15% a 22,5%)
– Baixo risco de crédito: o investidor é credor do governo federal

 

VEJA TAMBÉM:

– Como investir em LCI

- Guia de Investimentos

- Comparador de Investimentos

- Como investir pouco dinheiro

- Veja a cotação do dólar hoje

- Acompanhe o Ibovespa

 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br