Possuir um empréstimo ou financiamento já contratado, mas não ter nenhuma perspectiva de conseguir quitá-lo no curto prazo, não é das situações mais agradáveis do mundo. Pior ainda se os juros forem altos. Porém, não desista. Sempre há uma possibilidade de economia! O negócio é tentar ao menos buscar alternativas de juros e taxas menores. Pode dar um pouco de trabalho, mas isso vai lhe dar um retorno que realmente irá valer a pena!

Daremos então 3 dicas para esta situação:

1) Portabilidade de crédito

Sim, é possível portar o seu empréstimo ou financiamento para outras entidades financeiras que cobram taxas menores. Há condições para que isso seja possível, mas, na maioria das vezes, as leis tendem a proteger o endividado. Por exemplo, as instituições financeiras não podem se recusar a efetuar a portabilidade, o que já é um bom começo.
Mas, você terá que pesquisar muito para encontrar as melhoras opções de taxas. E, também será necessário uma dose de paciência para entender todas as cláusulas e assinar toda a papelada. Assim, uma dica é: faça a conta de quanto você irá economizar. Isto lhe dará uma boa dose de motivação!

2) Analise os ‘custos totais’

Na hora de comparar, não se esqueça de sempre analisar o ‘Custo Efetivo Total’ (CET). Ou seja, não adianta somente analisar os juros cobrados, é preciso também considerar todos os outros valores envolvidos e que serão cobrados de você, como taxas de cadastro, seguros, tributos, entre outros.
O CET também é uma informação que as instituições financeiras são obrigadas a lhe informar desde 2007, assim não hesite em perguntar e exigir esta informação.

3) Cuidado com a ‘venda casada’

Uma prática também comum é a da oferta de um empréstimo ou financiamento com juros ‘camaradas’, desde que você também adquira algum outro produto financeiro na mesma instituição. Pode ser um título de capitalização, algum tipo de seguro pessoal ou previdência privada. A princípio pode parecer um bom negócio, mas é preciso analisar com muito cuidado estas ‘ofertas': dificilmente a instituição financeira irá praticar ‘filantropia’ com você. Assim, desconfie sempre.

VEJA TAMBÉM:

- Portabilidade de Crédito: novas regras para ajudar o consumidor

- Como organizar as contas do dia a dia

- Como investir pouco dinheiro?

 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br