Há alguns tipos de seguros que são muito conhecidos para a maioria das pessoas: seguro do carro é um bom exemplo, quase todo mundo tem. Outros não tão “famosos”, mas ainda bastante conhecidos, são o seguro de vida, seguro de viagem e o seguro residencial.

Um seguro que tem recebido bastante atenção dos consumidores nos últimos anos é o seguro para aparelhos celulares. E isto não é em vão, afinal os telefones celulares estão se tornando verdadeiros “minicomputadores”, tanto em poder de processamento quanto em valor.

E devido principalmente a este alto valor e à facilidade com que ele pode ser reutilizado por outras pessoas, acabou se tornando um dos alvos preferidos dos assaltantes.

Além disso, como o carregamos praticamente 24 horas por dia, os aparelhos celulares estão sujeitos a todo tipo de acidentes, quedas e outros infortúnios (como esquecê-lo na mesa do restaurante e só se dar conta algumas horas depois …).

Nada mais natural, portanto, imaginarmos que fazer um seguro para celular seria algo bem vantajoso. À primeira vista sim, mas é preciso analisar alguns aspectos antes de adquirir mais este serviço.

Valor do custo do seguro para celular

Avalie se o valor a ser pago pelo seguro do celular vale realmente a pena. Para aparelhos celulares, estes valores costumam ser caros, comparativamente com outros tipos de seguro. Os preços podem ter grande variação, entre 10% a 25% do valor do aparelho, por isso pesquise bastante antes de fechar o negócio. Afinal, um custo alto do seguro do celular só justifica se o risco de ocorrer um sinistro também seja alto.

Atualmente você pode contratar o seguro para celular diretamente com uma seguradora ou através da empresa de telefonia (esta última costuma ter planos mais baratos).

Cobertura

Não adianta analisar somente o valor a ser pago pelo seguro do celular, é extremamente importante analisar quais as condições de cobertura. Por exemplo, casos de roubo podem estar na cobertura, mas casos de furto podem já não estar. Perdas ou esquecimentos do aparelho em algum lugar também geralmente estão fora das coberturas normais.

Entenda também quais casos de problemas de mau funcionamento e avarias do aparelho estarão cobertas, como as causadas por quedas no chão ou na água, exposição ao color intenso, umidade ou problemas de tela trincada.

Franquia

A franquia pode ser entendida como o valor do prejuízo que fica sob a custa do segurado, ou seja, o valor que você terá que pagar à seguradora em caso de sinistro. Ela pode variar bastante (de 10% a 25% do valor do aparelho), por isso pesquise bastante também as alternativas no mercado.

Outra dica é entender como é calculado o valor do aparelho no caso dele não ser novo. Geralmente há um desconto no valor devido à depreciação do aparelho, e isto influenciará diretamente o valor da franquia.

 

Como já deu para notar, quanto mais caro o aparelho, maiores são os gastos com o seguro do celular. A melhor dica que podemos dar a você é: não compre um celular caro, nem fique trocando o seu aparelho todo ano pelo último modelo disponível no mercado!

Procure ficar sempre na zona intermediária: nem tão barato que você não consiga usufruir das facilidades tecnológicas disponíveis, mas nem tão caro que acabe impactando negativamente o seu futuro (e talvez até o presente) de suas finanças!