Brasileiro é um sujeito otimista, não tem jeito. Também, com tantas riquezas naturais, clima quente, terras abundantes, praias maravilhosas, livre de maremotos, terremotos, furacões e vulcões, não poderia ser de outro jeito mesmo. Por um lado isto é excelente, pois a vida nos parece mais bela, com menos esforço.

Além disso, por acreditarmos que tudo vai dar certo, mesmo quando as coisas parecem estar ruins, ainda assim não perdemos a esperança e continuamos sempre em frente!

Mas, como tudo na vida, há sempre os dois lados da moeda. O principal ponto negativo do otimismo é que ele pode nos levar a nos arriscarmos demais, sempre acreditando que “no final tudo dá certo … Se não deu certo, é porque não chegou no final ainda”.

seguro_otimista_interior

O otimismo pode nos deixar cegos para o risco!

Um exemplo prático disso é a decisão de comprar ou não um seguro. Para que contratar um seguro se nada vai dar errado?

A verdade é que não há como ter certeza de que nada vai dar errado. O melhor a fazer é a análise do “pior caso”.

Por exemplo: vale a pena fazer um seguro de carro? Pense no pior caso: se você bater o carro no de outra pessoa, você terá condições de comprar um carro novo para você, pagar pelo outro carro batido, e ainda arcar com uma possível ação judicial contra perdas e danos (se houver alguma pessoa ferida, por exemplo)? Sob este ponto de vista, talvez o seguro seja até barato…

Um outro exemplo é o seguro de vida. Bem, nesta situação o pior caso seria você realmente “passar desta para melhor”. Quais seriam as consequências?  Se você não tem nenhum dependente financeiro (cônjuge, filhos, pais etc., cujo sustento depende do dinheiro que você recebe), talvez este tipo de seguro não seja interessante. Caso contrário, é preciso analisar muito bem se vale a pena correr o risco de deixar a sua família em uma situação muito difícil caso algo venha acontecer conosco.

Por fim, um caso de um seguro que pouca gente faz, mas que é extremamente importante, principalmente para os profissionais liberais ou aqueles que têm seu próprio negócio: o seguro contra invalidez ou acidentes pessoais. O que vai acontecer se você ficar impossibilitado de trabalhar? De onde irá tirar o dinheiro para o seu sustento?

Há vários outros tipos de seguro no mercado e vale a pena, de tempos em tempos, analisar quais seriam importantes para sua situação de vida em particular. E vamos continuar a ser otimistas sim … Mas com um responsabilidade!