Todo mundo recomenda fazer um orçamento doméstico, também conhecido como orçamento familiar. E apesar disso, você já fez o seu? Creio que teremos muitas respostas negativas a esta pergunta …
Vamos então tentar inverter a estratégia: ao invés de insistir na importância desta ferramenta de educação financeira, decidimos listar algumas razões para você NÃO fazer este orçamento doméstico.

Você vai perceber que elas se parecem muito com as “desculpas” mais comuns que as pessoas usam para não fazer controle nenhum. Analise bem se você se identifica com alguma delas.

1 – Controlar o dinheiro é muito chato!
Sim, realmente, ter que planejar os gastos definitivamente não é das atividades mais prazerosas do planeta. Bom mesmo é gastar o dinheiro!
E depois, acabamos perdendo muito tempo com esse negócio de controlar o dinheiro, já que é preciso disciplina para anotar todas as despesas e fazer as análises.
O negócio é usar este tempo para fazer outras atividades mais importantes … como se divertir!

2 – O que importa é viver o Presente.
Afinal, para que se preocupar muito com o futuro se nem sabemos se estaremos lá para curti-lo? Já dizia o velho ditado: “O passado é historia, o futuro é desconhecido e o hoje é uma dádiva (é por isso chama-se presente)”.
Vivamos então o presente … vamos torcer para que tudo de certo no futuro. O que nos leva ao próximo tópico:

3 – No final, tudo dá certo. Seja otimista.
Somos otimistas por natureza … e esperançosos também! Por isso, sempre temos a “certeza” de que as coisas vão se ajeitar, alguma surpresa boa vai acontecer e tudo vai dar certo no final.
Aliás, já que estamos falando neste assunto, vou já fazer a minha aposta na loteria e na Mega Sena! Tenho um pressentimento que a minha sorte está para mudar!

4 – Não preciso de um orçamento doméstico, sei “de cabeça” como estão minhas finanças pessoais
Manter planilhas de gastos para saber para onde está indo o dinheiro é “para os fracos”! Quem é inteligente sabe, quase que instintivamente, se estamos gastando mais do que ganhamos ou não. É claro que, às vezes, este controle “mental” é influenciado pelo item 3 acima (o do otimismo exagerado), e parece que o dinheiro acaba bem antes do final do mês …

Não dá para dizer que estas não sejam boas razões para deixar de fazer um orçamento doméstico, mas mesmo para os mais otimistas e imediatistas, um pouco de cautela não faria mal, afinal, nem sempre as coisas acontecem como desejamos. E ter um orçamento familiar equilibrado, com uma boa reserva financeira são instrumentos essenciais para estes imprevistos.

Então, que tal rever estes conceitos, ou melhor, estas desculpas e começar a fazer o seu orçamento familiar? Veja 5 dicas de como organizar o seu orçamento familiar.