Um dos grandes vilões do nosso orçamento são as despesas pequenas e esporádicas, que costumam passar despercebidas, mas, quando somadas, acabam por levar boa parte de nossas economias. Exemplo disso são os gastos com lazer e diversão, como, por exemplo, aquela cerveja no final de semana, o “happy-hour” com o pessoal da empresa ou ainda aquele inocente passeio no shopping da cidade.

O principal problema é que estas atividades acabam por envolver vários pequenos gastos e isto nos dá a impressão de não estarmos gastando muito.

Vamos pensar um pouco mais sobre aquela “cervejinha” do fim de semana ou do “happy-hour” depois do trabalho. Se fosse somente o gasto da cerveja, não haveria muito problema. Vamos dizer que, teoricamente, você vá tomar só 2 chopps (tudo bem, este é o velho truque do “só vou tomar 2 chopps e vou embora”, o que quase nunca acontece …). A um preço médio de R$3,00 por chopp, lá se vão R$ 6,00 goela abaixo.

Mas ainda é preciso lembrar que a cerveja sempre puxa um petisco, uma comidinha, um acompanhamento. Geralmente, vários pratos serão divididos por todos na mesa (mesmo que você só coma um “pequenino” pastel …), assim vamos supor que isso levará mais R$ 10,00 do seu bolso. Assim, no total seriam R$16,00 … mas não se esqueça dos 10%, o que nos leva a R$17,60.

Fora isto, ainda tem o estacionamento ou a gorjeta para o “guardador” do carro. Mais R$ 10,00, pelo menos, pode ser um pouco mais ou um pouco menos dependendo do lugar e da cidade. E nessa linha, haveria ainda os gastos com combustível, vamos supor mais uns R$3,00.

thumbnail2

E, por fim, você estará também gastando algo muito caro, que é o seu tempo! Sim, tempo este que poderia estar sendo investido em estudos para uma futura melhor remuneração. Mas isto é mais para pensar, não vamos inserir isto no nosso cálculo de gastos.

Totalizando tudo, chegamos a R$ 30,60. Se você fizer isto toda semana, dá cerca de R$120,00 no mês, ou R$ 1.440,00 no ano! Já daria para fazer aquela viagem tão sonhada, não? É claro que os valores aqui considerados podem variar bastante de acordo com a região do país, mas o objetivo aqui é mais ilustrar do que ser preciso nos cálculos.

Bom, mas o que fazer então? Cortar todos os gastos com lazer? Claro que não.

O importante aqui é ter equilíbrio e bom senso, não se privando das coisas boas da vida, mas sem deixar que estas destruam as suas finanças. Uma dica interessante é fazer um orçamento completo de gastos e incluir uma categoria chamada lazer ou diversão. Planeje um valor que seja factível de ser gasto neste item, de modo que você mantenha o seu equilíbrio financeiro considerando todos os seus ganhos e os outras despesas. E não se esqueça de reservar um parte para a sua poupança.

A partir daí, passe a acompanhar os seus gastos reais com relação a este valor orçado. Assim vai ficar mais fácil saber o momento certo de parar e dizer um ‘não’ para aquele convite quase irresistível para tomar mais uma cerveja após um dia cheio de trabalho. E com isto garantir que a cerveja do próximo mês possa ser apreciada com a sua conta no azul!