O calor chegou com toda a força e, nestas condições, o consumo de água tende naturalmente a ser mais alto. Apesar de não estarmos enfrentando os problemas de racionamento de água, que já tivemos em passado recente, muito por causa das chuvas torrenciais que temos enfrentado neste verão, não podemos desperdiçar este recurso tão importante e tão escasso em muitas regiões do planeta.

No Brasil, quando comparado com o resto do mundo, o custo da água é ainda baixo devido à relativa abundancia deste “bem” em nosso país. Por isto, costumamos dar pouca importância a este assunto (para se ter uma idéia, o Brasil detém cerca de 12% das reservas de água doce do mundo, mas grande parte desta reserva está na Amazônia, o que não previne de enfrentarmos secas no Nordeste).

Mas esta situação está mudando. Por exemplo, um litro de água engarrafada no supermercado chega a custar R$ 1,50, cerca de 60% do preço da gasolina! E ainda existem as marcas “gourmet”, geralmente importadas e naturalmente gaseificadas, que chegam facilmente ao triplo deste valor. As grandes corporações mundiais já perceberam isso e disputam o “mercado da água” de maneira feroz e capitalista, com todas as implicações boas e ruins que isto gera.

E sempre é bom lembrar que o grande consumo da água não é feita diretamente por nós, mas sim no processo produtivo dos alimentos e bens que compramos. Segundo a UNESCO, são necessários cerca de 16.000 litros de água para produzir 1 quilo de carne! E sabe aquela xícara de café que tomamos todo o dia? Bem, lá se vão 140 litros de água … (Saiba mais em www.waterfootprint.org)

Mas voltando ao nosso dia a dia, o que podemos fazer para termos um consumo racional de água, cooperando assim com a sustentabilidade mundial e, porque não, do nosso bolso também? Vamos a algumas dicas de economias interessantes retiradas do site da SABESP (saiba mais em http://site.sabesp.com.br/site/sociedade-meioambiente/dicas.aspx?secaoId=450):

“- Você sabia que ao se utilizar 1 copo de água, são necessários pelo menos outros 2, de água potável, para lavá-lo? Fonte: Sabesp. Antes de lavar os pratos e panelas, limpe bem os restos de comida e jogue-os no lixo.

- Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o quintal da sua casa. São perdidos 279 litros de água ao lavar a calçada com a mangueira.

- Use balde e pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, não o lave durante a estiagem. Lavar o carro com mangueira com meia volta aberta consome 560 litros de água. Lavar o carro, com balde, apenas uma vez por mês, o consumo é de 40 litros de água.

- Não utilize a bacia sanitária como lixeira. Acionar a válvula de descarga, por seis segundos, gasta de 6 a 10 litros de água.

- Não tome banhos demorados. Um banho de 15 minutos, com chuveiro elétrico, gasta 144 litros de água. Um banho de ducha, por 15 minutos, consome 243 litros de água para quem mora em apartamento.”

Tenha um excelente verão!