Estão casados ou morando juntos? Ter um carro só pode ajudá-los a ter uma aposentadoria mais tranquila ou mesmo conquistar a independência financeira mais cedo. 

Vocês se conheceram e cada um tinha o seu próprio carro. Namoraram, resolveram casar ou morar juntos e, ambos continuam a ter o próprio carro. A questão que queremos colocar aqui é se vale a pena continuar mantendo os dois carros.

Obviamente, a resposta depende de como cada um utiliza o carro. Se um dos carros é utilizado somente de forma eventual ou mesmo para deslocamentos diários curtos (menos de 20 quilômetros), talvez valha a pena vendê-lo e considerar um outro meio de transporte.

casal umcarro interior Casais com um carro só podem ser mais felizes

Para dar uma ideia do quanto isto pode representar de economia, fizemos uma pequena simulação comparando a compra de um carro à vista e de outro financiado contra o uso de táxi, o qual seria a alternativa mais confortável, porém mais cara.

É claro que, ao optar por uma alternativa mais barata, como o transporte público, a economia será muito maior.

As hipóteses que assumimos para fazer a simulação foram as seguintes:

- Valor do carro: R$ 40.000
– Depreciação do carro: 12% ao ano
– Intervalo de troca: a cada 3 anos com a compra de um carro novo e venda do usado pelo valor depreciado
– IPVA: 4% do valor atualizado do carro
– Seguro: 4% do valor do carro, pagamento anual
– Manutenção: 5% do valor do carro, gasto anual à exceção do ano de compra
– Combustível: R$ 300/mês
– Estacionamento: R$ 400/mês
– Juros reais para investimentos: 3% ao ano
– Juros do financiamento: 1,5% ao mês
– Gasto diário de táxi: R$ 60 ou R$ 1.260/mês
– Inflação: 0%, para simplificar os cálculos

Com isto, em um prazo de 30 anos é possível economizar cerca de R$ 220 mil no caso de um carro financiado e R$ 163 mil com as compras à vista. No prazo de 50 anos, a economia chega a R$ 472 mil e R$ 321 mil, respectivamente.

Carro próprio x taxi Casais com um carro só podem ser mais felizes

Carro próprio x taxi

É óbvio que estamos falando de um caso hipotético. Cada casal deve avaliar os seus gastos e as suas necessidades, fazer algumas contas e verificar se realmente precisa de um segundo carro na casa.

Se, por um lado, o carro adicional traz maior conforto, de outro, ele pode gerar mais gastos e acabar consumindo recursos que podem gerar um bem-estar maior se despendidos de outra forma.

 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br