O que você faria se o seu cão ou o seu gato ficasse doente? Seria capaz de gastar uma boa quantia de dinheiro para levá-lo a um bom veterinário, fazer exames e eventualmente custear até alguma cirurgia?

Bem, talvez nem todas as pessoas responderiam ‘SIM’ a esta pergunta, mas o fato é que, principalmente nas grandes cidades, os bichos de estimação estão se tornando cada vez mais parte de nossa família. Uma prova disso é que o mercado de animais de estimação no Brasil já é o segundo maior do mundo (os Estados Unidos continuam sendo o primeiro mercado) … e o crescimento continua.

É fácil se apaixonar e criar fortes vínculos com estes “companheiros animais”. E isto leva a família a tratá-los de modo especial, quase como se fosse um filho ou um irmão: a alimentação é feita com rações especiais, os banhos e tosas são frequentes, bem como o acompanhamento médico através de veterinários. E, consequentemente, o gasto acaba se tornando bastante relevante, consumindo uma boa parte do orçamento familiar.

Se você tem um carinho e uma ligação muito grande pelos seus bichinhos, uma dica é fazer o seguro pet, ou o seguro para animal de estimação.

O funcionamento deste seguro é muito similar ao seguro saúde e ao seguro de vida feito para as pessoas.

Alguns destes seguros para animais de estimação garantem uma indenização em caso de morte acidental do animal, cobrindo também despesas com funeral e até danos a terceiros e/ou danos materiais.

Já outros seguros se assemelham mais aos seguros saúde: você tem o direito a consultas veterinárias em clínicas credenciadas, incluindo gastos com exames, diagnósticos por imagem, exames laboratoriais e até cirurgias.

Como dica, não se esqueça de seguir as mesmas recomendações de compra de um outro seguro qualquer para pessoas:

  • - Sempre pesquise muito o preço do seguro para animais de estimação antes de fechar o negócio. Ainda não há muita concorrência neste tipo de produto, assim você provavelmente não irá encontrar muitas alternativas. Mas não deixe de “pechinchar”, afinal este mercado ainda não é grande e cada cliente é importante para a seguradora.
  • - Entenda muito bem as condições do seguro. Quais são os casos cobertos pelo seguro? Que tipos de animais estão cobertos (alguns planos incluem somente cães e gatos, por exemplo)? Quais serviços estão cobertos (alguns planos não incluem atendimentos emergenciais ou castração)? Neste ponto, muitas seguradoras oferecem diferentes planos com diferentes coberturas (planos “TOP”, “Hospitalar”, etc.), assim é importante verificar aquela que melhor irá atender as suas necessidades.
  • - No caso de seguro que inclui consultas a veterinários, pesquise a rede de clínicas credenciadas e as cidades que estão cobertas.

Por fim, o importante é não deixar que o seu animal de estimação estrague as suas finanças. Realize um bom controle financeiro, crie uma categoria específica em sua planilha de gastos para controlar as despesas com o seu animal de estimação e anote todos os valores.

E bom divertimento com o seu animal de estimação!