Em dezembro, o Ibovespa voltou a cair, desta vez -2,71%, reduzindo a alta no ano para 38,94%, ainda assim o melhor desempenho anual desde 2009, quando subiu 82,66%. Pela cotação do Banco Central (Ptax 800), o Dólar voltou a cair: -4,05% cotado a R$ 3,2591, enquanto o Euro teve queda um pouco mais acentuada: -4,49% cotado a R$ 3,4384. No mercado de renda fixa, o CDI e a taxa Selic renderam 1,12%, enquanto a poupança rendeu 0,69%.

 

Ibovespa

O Índice Bovespa terminou o mês de dezembro (e o ano de 2016) com 60.227 pontos, o que representa uma desvalorização de -2,71% em relação ao mês anterior, levando a uma valorização de 38,94% no acumulado do ano. Em 24 meses apresenta alta de 20,44%.

 

Resumo do mercado dez-16 Ibovespa

Resumo do mercado dez-16 Ibovespa

 

Dólar

O dólar comercial (PTAX 800 venda, divulgado pelo Banco Central) encerrou o mês com baixa de -4,05% cotado a R$ 3,2591. No ano, acumulou desvalorização de -16,54% (maior desvalorização desde 2009, quando caiu -25,49%) e, nos últimos 24 meses apresenta alta de 22,70%. Quanto ao dólar pela cotação de mercado, apresentou desvalorização de -4,06%, cotado a R$ 3,2497. No ano, a perda ficou em -17,69% e, em 24 meses apresenta ganho de 22,23%.

 

Resumo do mercado dez-16 Dólar

Resumo do mercado dez-16 Dólar

 

Euro

Em relação ao Euro comercial (Bacen), esta moeda apresentou desvalorização frente ao Real de -4,49% no mês, cotada a R$ 3,4384. Com isto, a perda acumulada em 2016 ficou em -19,10%, e, para o período de 24 meses, acumula ganho de 6,55%. Quanto ao Euro apurado no fechamento de mercado, apresentou queda de -4,44%, cotado a R$ 3,4285. Em 2016, acumulou perda de -20,35%, mas para o período de 24 meses, ela tem ganho de 6,61%.

 

Resumo do mercado dez-16 Euro

Resumo do mercado dez-16 Euro

 

Renda fixa

Em relação aos indicadores financeiros de renda fixa, o CDI rendeu 1,12% no mês, acumulando ganho de 14,00% no ano, e 29,08% em 24 meses. A taxa Selic rendeu 1,12% no mês, 14,02% em 2016, e 29,14% em 24 meses. Já a poupança nova entre 1º de dezembro de 2016 e 1º de janeiro de 2017 rendeu 0,69%. No ano, o ganho é de 8,30%, e de 17,05% em 24 meses.

 

Resumo do mercado dez-16

Resumo do mercado dez-16

 

Em relação às taxas prefixadas, mostramos abaixo a evolução das curvas de juros através de 5 diferentes datas. O que se pode ver é que as taxas de juros em geral cresceram muito, principalmente no segundo semestre de 2015, mas acabaram baixando significativamente no decorrer deste ano com a desaceleração da inflação. A curva de juros de 29 de dezembro (último pregão da BM&F no ano), por sua vez, apresentou queda significativa em relação à curva de 30 de novembro (data da última reunião do COPOM) em toda a sua extensão.
 

Resumo do mercado dez-16 – Curvas prefixadas de juros

Resumo do mercado dez-16 – Curvas prefixadas de juros

 

Uma outra forma de acompanhar a evolução das taxas de juros é através das taxas médias de CDI esperadas para os próximos anos, extraídas a partir do mercado futuro de DI (negociado na BM&F Bovespa). O gráfico abaixo mostra estas expectativas nas mesmas 5 datas apresentadas no gráfico anterior. Para 2017, por exemplo, trabalhava-se com um CDI médio de 12,28% ao ano em 30-jul-15 e, com a crise econômica e política, chegou a 17,20% em 30 de dezembro de 2015. Com a expectativa de cortes na taxa Selic, em boa parte por conta da desaceleração da inflação, a taxa baixou fortemente para 13,59% em 31 de março e um pouco mais em 30 de novembro, para 11,92%. No último pregão do ano, a taxa baixou um pouco mais, para 11,52%.

 

Resumo do mercado dez-16 – Expectativas anuais de CDI

Resumo do mercado dez-16 – Expectativas anuais de CDI

 

Inflação

Quanto aos índices de inflação, o IGP-M de dezembro (+0,54%) veio pouco acima da expectativa média do mercado. A variação deste mês levou a um acumulado em 12 meses de 7,17% (contra 7,12% no período de dez-15 a nov-16). Já a expectativa de mercado em relação ao IPCA é de alta de 0,31% no mês (divulgado pelo Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da Anbima), o que geraria uma variação em 12 meses de 6,30%, abaixo do teto da meta de inflação, que é de 6,50. A divulgação do IPCA de dezembro será realizada em 11 de janeiro de 2017.

Resumo do mercado dez-16 Inflação 12 meses

Resumo do mercado dez-16 Inflação 12 meses

 

Acompanhe as rentabilidades dos principais indicadores financeiros em diversos períodos nas tabelas abaixo.

Rentabilidades mensais

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades mensais

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades mensais

 

Rentabilidades anuais

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades anuais

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades anuais

 

Rentabilidades acumuladas

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades acumuladas

Resumo do mercado dez-16 rentabilidades acumuladas

 

* Rendimento para depósitos feitos no 1º dia do mês. Poupança nova: depósitos a partir de 04/mai/12.
** Variação do IPCA para dez/16 baseada na expectativa média apurada pelo Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA