Até o dia 03 de maio de 2012, as cadernetas de poupança tinham uma rentabilidade de TR + 0,5% ao mês ou TR + 6,17% ao ano.

Com as sucessivas quedas da taxa Selic e mesmo com a TR tendendo a 0%, a poupança passou a se tornar bastante atrativa, mesmo para os grandes investidores, o que “obrigou” o governo a alterar a regra de remuneração deste investimento. Assim, os novos depósitos e novas contas de poupança realizados a partir de 04 de maio de 2012 passaram a seguir uma nova regra.

Toda vez que a Selic ficar abaixo de ou igual a 8,5% ao ano, a poupança passará a render TR + 70% da Selic.

Com isto, o governo deve conseguir afastar a ameaça de uma migração em massa de recursos aplicados em fundos de renda fixa para a poupança. No entanto, para a maioria dos pequenos investidores ainda fica a dúvida de qual é a melhor opção entre estes dois investimentos.

Para tanto, fizemos uma simulação para ajudar nossos leitores e usuários a conseguir investir melhor neste cenário futuro de queda da taxa básica de juros.

Premissas:

  • - Investimento por um ano e tributação dos fundos sujeita à alíquota de 17,5%
  • - Rendimento bruto dos fundos: 105% do CDI
  • - Diferença absoluta entre a taxa Selic e a taxa CDI: 0,10% na taxa ao ano
  • - Taxa de administração dos fundos: 1,5%, 1% e 0,5% ao ano.

Vejam no quadro abaixo a rentabilidade líquida de imposto de renda dos fundos em diversos cenários de taxa Selic e sua comparação com a poupança sob a nova regra:

Para facilitar a visualização, destacamos as rentabilidades líquidas dos fundos que ficaram abaixo da poupança.

Assim, o Fundo 1 (com taxa de administração de 1,5% ao ano) apresenta rentabilidade líquida abaixo da rentabilidade da poupança em qualquer dos cenários apresentados.

o Fundo 2 (com taxa de administração de 1% ao ano)passa a apresentar rentabilidade líquida abaixo da rentabilidade da poupança somente quando a taxa Selic fica igual ou abaixo de 5,5% ao ano.

O Fundo 3 (com taxa de administração de 0,5% ao ano) é o único que apresenta rentabilidade líquida sempre acima daquela da poupança. Vale ressaltar que os recursos da poupança sob a regra de remuneração de TR + 6,17% ao ano teriam um retorno melhor em quase todos os cenários, com o Fundo 3 se sobressaindo apenas com a taxa Selic acima de 7,5% ao ano.

Vale destacar que há bancos que aceitam aplicações iniciais de apenas R$ 50 para fundos com taxa de administração de 1,5% ao ano e R$ 2.500 para fundos com taxa de administração de 1% ao ano.

Como última dica, se você tem dinheiro investido em poupança, evite resgatá-lo e procure usar outros recursos. E para aqueles que investem regularmente na poupança, lembrem-se de resgatar (quando necessário) primeiro os recursos que estão sob a nova regra, pois a tendência é que ficará cada vez mais difícil obter rendimento de 6,17% ao ano, líquido de imposto de renda e com risco bastante baixo (a poupança possui cobertura do FGC – Fundo Garantidor de Crédito – até o valor de R$ 250 mil por CPF).

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br ou entre em contato pelo formulário do site.