Quem investiu R$ 100 no Índice Bovespa em 22/ago/1994 teria em 22/abr/2022 um saldo de R$ 2.062,42, um retorno de 1.962% em pouco mais de 27 anos. Parece ser um excelente ganho, quando comparado à inflação de 590% medida pelo IPCA neste mesmo período. No entanto, o CDI apresentou um desempenho ainda melhor… O mesmo investimento inicial de R$ 100 teria gerado um saldo de R$ 5.586,43, um retorno de 5.637%!

A ideia aqui não é a de afirmar qual investimento é melhor, mas somente a de apresentar uma comparação entre estes dois indicadores ao longo destes 27 anos. Considerando os anos completos de 1995 a 2021, o Ibovespa “venceu” 14 vezes, contra 13 “vitórias” do CDI. No gráfico abaixo, exibimos as rentabilidades anuais deste período até 2022, considerando os dados até o dia 22 de abril.

 

 

Fizemos um teste usando os preços diários de fechamento do Índice Bovespa e comparando contra um investimento em um título que paga 100% do CDI (por exemplo, um CDB). Em ambos os casos, mostramos apenas as rentabilidades brutas, antes da cobrança de imposto de renda. A ideia é mostrar quanto um investidor teria hoje ao aplicar R$ 100 ao longo de cada data, em cada uma destas alternativas (Ibovespa ou CDI). Vale lembrar que, na vida real, investimentos em CDI possuem data de vencimento e o consequente pagamento de imposto de renda nesta data. Ao reaplicar um valor menor (pós-pagamento de IR), o rendimento final de um investimento em CDI acaba sendo menor do que o apresentado aqui.

Sendo assim, quem investiu R$ 100 no Índice Bovespa em 16/out/2002 teria R$ 1.326,94 hoje, ao passo que o investimento no CDI geraria um saldo inferior: R$ 792,75, 40% menor do que o saldo no Ibovespa.

Por outro lado, se os investimentos tivessem ocorrido em 22/08/1994, o Ibovespa teria gerado um saldo de R$ 2.062,42, enquanto o investimento em CDI teria saldo de R$ 5.737,05. Neste caso, o saldo no CDI seria 178% maior do que o saldo no Ibovespa.

O gráfico abaixo mostra os saldos em todas as datas entre 04/jul/1994 e hoje. Fica muito claro que o Ibovespa bateu o CDI em menos oportunidades. A valorização apresentada é sempre bruta, isto é, sem descontar imposto de renda e custos operacionais.

 

 

Entretanto, com a forte valorização do Ibovespa em anos mais recentes, os investimentos realizados principalmente a partir de meados de junho de 2013 apresentam retorno melhor do que os investimentos em CDI. Um dos melhores retornos neste período corresponde à aplicação em 26/jan/2016, que geraria saldo atual de R$ 296,23 no Ibovespa (retorno de 196%) e R$ 154,82 no CDI (retorno de 55%)

Evidentemente, os picos que aparecem nos dados referentes ao Ibovespa correspondem aos momentos de crise, em que os preços das ações despencaram. Obviamente, os que investiram no índice nos momentos de grande euforia no mercado acionário (nos picos) obtiveram retorno bastante abaixo do que teriam recebido caso tivessem aplicado no CDI. Os gráficos seguintes ilustram a evolução histórica do Ibovespa e do CDI.
 


 

 

Outra dica de investimento bastante comum é não se importar com as altas e baixas do mercado e investir um pouco sempre. Fizemos uma simulação semelhante ao do gráfico acima, mas com a diferença de que o investimento feito é de R$ 1 a cada dia útil. Como exemplo, quem aplicou R$ 1 por dia, de 22/ago/1994 a 22/abr/2022, no Ibovespa teria R$ 40.146,15 neste momento. Já quem investiu em CDI, teria R$ 55.621,62 O montante total nominal investido seria de R$ 6.943,00. Os gráficos de ambos tendem a ser decrescentes, pois quem aplicou depois acabou investindo um capital total menor.

 

 

O que pode ser visto no gráfico acima é que, mesmo investindo em ações um pouco de cada vez ao longo do tempo, não necessariamente o investidor terá um resultado melhor do que se investisse de forma conservadora em renda fixa. Aliás, o que se vê neste último gráfico, é que o investimento constante no CDI no longo prazo foi mais rentável por boa parte do período, notadamente entre o início do Plano Real e meados de 2008/09.

VEJA TAMBÉM:

- Guia de Investimentos

- Comparador de Investimentos

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br