A delação da JBS não gerou crise apenas no meio político; no meio financeiro, as taxas de juros prefixadas subiram fortemente nos últimos dias. A taxa de juros de 5 anos, que estava em 9,87% ao ano em 17 de maio, fechou em 11,67% no dia seguinte (18 de maio), acima da taxa de 11,50% registrada no final de dezembro de 2016.

No gráfico abaixo, exibimos as curvas de juros antes e depois da delação da JBS. No dia 17 de maio, as taxas de juros prefixadas haviam caído ao patamar mais baixo dos últimos anos e subiram fortemente no dia seguinte com a crise política, sendo que as taxas mais longas chegaram a ultrapassar as taxas observadas no final do ano passado. Alguns dias depois, no fechamento do dia 23 de maio, estas taxas recuaram um pouco, mas continuaram em um patamar bastante elevado, cerca de 200 pontos-base acima das taxas observadas antes das notícias da delação.

 

Estruturas temporais de taxas de juros - mai 2017

Estruturas temporais de taxas de juros – mai 2017

 

As projeções de CDI, também extraídas do mercado de DI futuro, ressaltam como o mercado de juros deteriorou com as recentes notícias. O CDI projetado para 2019, por exemplo, que chegou a 9,96% ao ano em 17 de maio, passou para 11,56% no dia seguinte e 11,66% em 23 de maio, taxas acima da registrada em 29 de dezembro, que era de 11,50%.

 

Projeções CDI - mercado DI futuro - mai 2017

Projeções CDI – mercado DI futuro – mai 2017