Diz o velho ditado que, no mercado de ações, o negócio é “comprar na baixa e vender na alta”. Seguindo esta dica e sabendo que a Bolsa de Valores brasileira alcançou níveis baixíssimos, muita gente está tentada a comprar ações para aproveitar uma valorização no futuro. Mas será que este é mesmo o momento?

Há controvérsias. Em primeiro lugar, se você é um investidor iniciante, o ideal mesmo seria começar com investimentos mais conservadores e, em paralelo, começar a estudar mais o mercado de renda variável. A bolsa continua sendo uma opção de alto risco e para ‘jogar este jogo’ você deve, além de ter bons conhecimentos, estar ciente de que pode perder todo o investimento realizado.

Ou seja, não entre neste mercado se irá precisar do seu dinheiro poupado no curto ou médio prazo.

momento_investir_bolsa_interior

E mesmo se você tiver um dinheiro que possa ser aplicado em investimento de maior risco, é bom analisarmos um pouco mais a estratégia de “comprar na baixa e vender na alta”. Esta estratégia é correta sim, porém há mais algumas variáveis que precisam ser analisadas antes de se tomar uma decisão de investimentos:

1. Se a bolsa está em baixa, por quanto tempo mais será que ela vai continuar neste nível?

Comprar na baixa é bom se houver efetivamente uma perspectiva de valorização em um prazo razoável. Otimistas que somos, tendemos sempre a acreditar que as coisas vão melhorar. Nosso pensamento costuma ser: “não é possível que nada seja feito em 2 anos, até lá a bolsa vai subir com certeza!”.

Mas veja o exemplo da bolsa japonesa: o índice Nikkei 225, principal indicador da bolsa de valores de Tokyo, que se encontra em níveis estagnados há praticamente 15 anos, devido ao baixo crescimento da economia japonesa.

2. Situação macroeconômica nacional.

Se é preciso levar em conta as perspectivas de valorização da bolsa, é certo dizer que no nosso caso as notícias não são boas.

Não há grandes perspectivas de mudança do cenário econômico no país e a confiança da população está em baixa. Isto só reforça a tese de que a maior probabilidade é de que a bolsa continue em baixa por um bom tempo.

3. Comparação com outros investimentos.

Também é necessário analisar o ‘custo da oportunidade’: se você aplicar o seu dinheiro em ações, estará perdendo a oportunidade de ganhar os juros dos outros tipos de investimentos que você deixará de fazer.

E no nosso caso, estamos vivendo um país com as maiores taxas de juros do mundo. É possível obter bons rendimentos em investimentos mais conservadores de renda fixa, o que certamente tira um pouco da vantagem de termos um bolsa a preços atrativos.

4. Mas então, quando é a melhor hora para entrar na Bolsa?

Esta é a “pergunta do milhão”! Não dá para prever este tipo de situação com certeza. O que se pode fazer é estar continuamente analisando o mercado para tentar captar os sinais de uma possível recuperação.

Mas leve em conta que nem mesmo os melhores profissionais da área conseguem fazer isso com segurança. Haverá sempre um bom risco a correr!