Sempre encaramos as nossas férias como um tempo em que podemos nos “desligar” de duas atividades muito presentes em nossas vidas: Trabalho e Estudo. Mas, e se pudéssemos também tirar férias de nossas Finanças Pessoais? Pode parecer um absurdo à primeira vista, mas este novo conceito tem suas vantagens!

As férias representam aquele tempo que precisamos para que o nosso cérebro, corpo e alma descansem de um modo mais profundo. Pesquisas nesta área demonstram que um verdadeiro período de férias (quando nos desconectamos completamente das atividades diárias, inclusive deixando de lado e-mails, telefonemas e até os programas de televisão) pode efetivamente aumentar a concentração e reduzir o “stress” quando voltarmos ao trabalho ou ao estudo.

E podemos sim estender estas férias às Finanças Pessoais: não seria bom deixar, mesmo que por um período curto, de nos preocupar com a nossa aposentadoria, com o Orçamento Doméstico, com a busca pelo melhor investimento? Claro que sim. Mas, para isso é preciso planejamento!

Para começar, estas férias “completas” só serão possíveis se você não tiver dívidas e, além disso, tiver uma boa poupança. Não dá para se desligar de sua vida financeira se as contas estiverem atrasadas e o cheque especial estiver sendo usado no limite!

Assim, a primeira coisa a fazer é: livre-se de suas dívidas.

Passada esta fase, é preciso ser capaz de juntar algum dinheiro e construir uma poupança. Entenda a “poupança” aqui em seu sentido mais amplo, ou seja, uma certa quantidade de dinheiro suficiente para atingir 3 principais objetivos de sua Vida Financeira:

  • 1. Ter uma reserva de dinheiro para Imprevistos;
  • 2. Poder lhe sustentar e dar uma vida digna em sua Aposentadoria;
  • 3. Permitir gastos em atividades de Lazer.

Portanto, a segunda coisa a fazer é buscar atingir o item 3 acima: mas lembre-se que é importante garantir primeiro os itens 1 e 2, para então perseguir o item 3!.

Ou seja, é preciso ter uma condição financeira mínima que permita, a você e sua família, se comprometer com os gastos adicionais das férias sem colocar em risco o seu Orçamento Doméstico.

Mas não se assuste, ninguém precisa ser rico ou milionário para tirar umas boas férias. O importante é adaptar o seu “descanso” à sua condição financeira e não achar que as únicas férias que prestam são aquelas que vemos nos comercias de televisão. Há várias opções mais em conta, basta usar a criatividade e não atrelar as férias à necessidade de consumismo.

E a recompensa para todo este esforço é a possibilidade de gozar as suas férias de modo pleno, sem precisar carregar na mala um mundo de preocupações financeiras! E, melhor ainda, voltar das férias mais “leve”, motivado, com a consciência tranquila e a Vida Financeira em dia!
 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br