Já ressaltamos a importância de se criar uma poupança o mais cedo possível na vida: desta maneira, o “milagre” dos juros compostos irá fazer com que o seu dinheiro se multiplique mais rapidamente. Mas, será que você já acumulou uma riqueza suficiente para a sua idade? Ou será que você está ficando mais para o final da fila?

É claro que não há um valor que seja o correto: na verdade, a única regra seria “quanto mais, melhor”. Mas, é importante você ter alguns números em mente para fins de comparação e até para definir as suas próprias metas.

Assim, vamos dar algumas fórmulas para que você calcule este valor. Você vai notar também que teremos métricas diferentes para aqueles que “tem filhos” e para os “sem filhos”. Afinal, estes dois cenários representam situações econômicas bem distintas e não seria justo colocar todos no “mesmo barco”.

1. Aos 20 anos.

Nesta idade, a maioria das pessoas ainda não tem filhos, assim não vamos considerar esta distinção.

quanto_economizar_interior

É a idade em que as pessoas estão começando a trabalhar ou então ainda estão estudando, ou seja, ainda não houve tempo nem possibilidade de se juntar muito dinheiro.

Assim, não faz sentido falar em riqueza já acumulada, mas sim em quanto se consegue economizar por mês: tente reservar 25% do que você ganha (salário ou ‘mesada’ dos pais) para a sua poupança.

2. Aos 30 anos.

Neste momento você já deveria estar trabalhando há algum tempo e poderá até já ter constituído a sua própria família. Seria o momento de você ter acumulado o equivalente a 1 ano de seu salário.

Por exemplo, se você ganha R$ 6.000 por mês, deveria ter cerca de R$ 72.000 em patrimônio.

Agora se você não tiver filhos ainda, aumente um pouco a régua em pelo menos 30%!

3. Dos 40 aos 60 anos.

Neste intervalo de idade, você deveria aumentar cada vez mais o ritmo de crescimento do seu patrimônio. Um exemplo seria o seguinte cálculo (considerando um salário de R$ 6.000 mensais):

– 40 anos: ter acumulado 3 vezes o seu salário anual (R$ 216.000)
– 45 anos: ter acumulado 4 vezes o seu salário anual (R$ 288.000)
– 50 anos: ter acumulado 5 vezes o seu salário anual (R$ 360.000)
– 55 anos: ter acumulado 6 vezes o seu salário anual (R$ 432.000)
– 60 anos: ter acumulado 7 vezes o seu salário anual (R$ 504.000)

É claro que os valores acima são somente um exemplo, afinal todos esperam que o salário aumente à medida que se envelhece.

Se você não tem filhos, lembre-se que você não terá ninguém para ajudá-lo (financeiramente ou para cuidar de você). Assim, será preciso acumular mais dinheiro como um seguro para as despesas extras: cuidadores, casas de repouso, etc. Considere um aumento de 50% nas suas economias!