Ficar rico e ganhar muito dinheiro é para poucos: a maioria das pessoas não serão milionárias. Não que isto seja algo ruim, é apenas um fato. Mas há vários casos de pessoas que ‘conseguiram’ chegar lá no topo em termos financeiros … e depois acabaram perdendo tudo. Será que podemos aprender algo com estas estórias?

Talvez sim. Conhecer e entender o que aconteceu na vida destas pessoas para caírem no descontrole financeiro pode nos ensinar a manter nossa saúde financeira mais equilibrada.

Escolhemos algumas pessoas famosas e conhecidas, que passaram por estes altos e baixos.

1. Eike Batista

Ok, na verdade o Eike continua milionário. Mas para quem já foi um bilionário e considerado o 8º mais rico do mundo em 2012 (com uma fortuna estimada em US$ 34 bilhões) ser apenas um milionário significa um tombo muito grande.

ganhou_perdeu_interior

No caso dele, não se pode falar que a diminuição em seu patrimônio se deveu a gastos exorbitantes ou supérfluos: isso pode ter acontecido também, mas a derrocada de suas empresas é o que explica tamanha diminuição no seu patrimônio.

2. Nicolas Cage

Famoso ator norte americano, Cage é conhecido por realizar gastos altíssimos: chegou a comprar 15 imóveis de luxo e 22 carros (que não eram populares), além de iates, jato e ilhas.

De tanto gastar, chegou a ficar devendo valores milionários à Receita americana. Como continua na ativa, pode ser que ele ainda seja mais rico que você e eu, mas com certeza não é um exemplo a seguir no quesito ‘gastos pessoais’.

3. Emerson Fittipaldi

Velho conhecido dos brasileiros, sempre foi admirado pelas suas conquistas dentro e fora das pistas. Depois que se aposentou dos esportes automobilísticos, teve uma carreira de sucesso no mundo empresarial.

Recentemente ele revelou que possuía uma dívida de cerca de R$ 25 milhões, fruto de investimentos e empresas malsucedidas. Mas continua trabalhando para recuperar o seu patrimônio.

4. Jesus Silva da Fonseca

Bem, este você provavelmente não conheça. Senhor de 69 anos, já foi ganhador de loteria em Macapá, no ano de 1983. Arrematou um valor equivalente a R$ 2 milhões atuais.

Poderia até ter investido este valor e pensado mais em sua aposentadoria, mas resolveu viver a vida. E gastou todo o dinheiro em diversão e lazer, fretando aviões e fazendo banquete para os ‘amigos’. Diz que gastou todo o dinheiro em 6 meses.

Hoje vende bilhetes de loteria.