Quem está cursando uma faculdade imagina que tudo irá mudar assim que chegar o dia da formatura: conquistar um bom emprego, com atividades desafiadoras e bem remunerado. A vida adulta finalmente chegou e, com ela, um céu de oportunidades se abre para estes recém-formados! Isto tudo pode ser verdade, mas ainda é preciso alguns cuidados com as Finanças Pessoais.

Este momento também é especial para as suas Finanças. Apesar de você provavelmente não ser ainda financeiramente independente, é o momento de “começar certo” a construir a sua riqueza. Vamos a algumas dicas.

1. Não dependa mais dos seus pais.

Se você ainda pede dinheiro as seus pais, chegou o momento de parar com isso. Eles já lhe ajudaram muito a chegar até este ponto em sua vida e agora é a sua vez de retribuir este esforço deles.

Na geração passada, era comum que os filhos entregassem uma boa parte de seus salários para os pais, como forma de ajudar no orçamento doméstico. Este costume se perdeu um pouco, mas deveria ser mantido.

recem_graduado_interior

Se você não tem como fazer esta “doação”, ao menos passe a não usar mais o dinheiro deles. Mesmo que eles tenham uma boa reserva financeira, você deve agora assumir a responsabilidade de se sustentar.

2. Não se endivide.

A euforia da possibilidade de empregos e salários melhores pode ser tão grande que a tentação de ir às compras acaba se tornando quase irresistível. Um bom relógio, óculos escuros, notebook de última geração, roupas melhores para ir ao trabalho e até um carro (finalmente!) para não precisar mais andar de ônibus podem agora estar ao seu alcance.

Basta um financiamento ou um empréstimo.

Evite a todo custo este tido de atitude. Na sua idade o foco deve ser em manter o orçamento equilibrado e começar a fazer uma poupança. Da mesma maneira que os juros compostos irão multiplicar qualquer dinheiro investido durante 40 anos, eles irão também arruinar as suas finanças se você começar a se endividar desde já.

3. Comece a investir já.

Não importa o valor, pode ser até R$ 50,00 por mês. O que conta é criação do hábito de poupar e ter aquele “gostinho” de todo mês conseguir fazer sobrar algum valor.

Aproveite este tempo para experimentar os diferentes tipos de investimentos que o mercado oferece. Busque também os aplicativos que facilitam a aplicação e resgate de valores para ter mais agilidade.

E principalmente pesquise bastante as taxas de serviço cobradas pelos bancos e corretoras. Você pode se dar ao luxo de buscar instituições financeiras novas e mais voltadas à internet que oferecem os serviços a um custo bem baixo.

4. Não pare de estudar.

Quem sai da faculdade pode achar que já aprendeu tudo. Na verdade, a verdadeira jornada rumo ao conhecimento começa agora.

Estude tudo o que você puder sobre economia, orçamento doméstico, investimentos e finanças comportamentais. E isto se aplica também à sua área de atuação profissional.