Com uma facilidade maior para se comprar um carro financiado (na verdade, isto vale para qualquer bem, não?) é cada vez mais comum as pessoas preferirem tomar um empréstimo e poder usufruir do bem de imediato ao invés de poupar dinheiro e comprar o bem à vista algum tempo depois. No entanto, esta escolha pode ter um impacto significativo no longo prazo.

Muitas pessoas que compram o primeiro carro através de um financiamento tendem a trocar o carro também através de um financiamento. Após um período de 30 ou 50 anos (se você comprou seu primeiro carro aos 20 anos, é bem possível que aos 70 ainda esteja dirigindo), qual será o impacto financeiro desta escolha?

Pois bem, nós do Minhas Economias resolvemos fazer algumas continhas para ilustrar esta questão. Fizemos as seguintes suposições:

  •  – Valor do carro e do financiamento: R$ 50.000
  •  – Taxa de juros do financiamento: 1,8% ao mês, já incluindo IOF e outras taxas
  •  – Número de parcelas mensais: 36
  •  – Valor da parcela: R$ 1.899,19
  •  – Taxa de retorno do investimento: 0,4% ao mês

Para facilitar nossa simulação, consideramos que não há inflação, de modo que o valor do carro se mantém constante. Vamos considerar também que a pessoa que optou por poupar, esperar e comprar à vista, tenha investido exatamente o valor da parcela todo mêss. Sendo assim, quem sempre comprou financiado não terá dinheiro algum ao final dos 30 anos. E quem decidiu poupar e comprar à vista depois, quanto terá ao final deste período?

Como curiosidade, esta pessoa terá condições de comprar o primeiro carro em 26 meses e, o mais importante, terá R$ 443,1 mil em 30 anos  e R$ 1.410,8 mil em 50 anos!

 

Impacto no longo prazo da escolha entre comprar financiado e comprar à vista

Impacto no longo prazo da escolha entre comprar financiado e comprar à vista

 

Moral da história: Se você poupou dinheiro e comprou seus bens à vista quando as taxas de juros eram bastante altas, certamente fez um ótimo negócio e continua sendo. Se você sempre comprou financiado e continua fazendo assim, talvez valha a pena mudar este hábito…

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br ou entre em contato pelo formulário do site.