Este tema não é novo, mas sempre vale a pena relembrar. É daquelas frases que é bom ter ‘grudada’ no espelho do banheiro ou na mesa da cozinha. Alguns até gostam de colocá-la colada no cartão de crédito … estratégias a parte, o importante é que seja lembrada todo dia. No entanto, isto não basta! É preciso que ela seja colocada em prática a todo momento para que efetivamente se torne parte de sua vida.

Você quer provas de que as melhoras coisas da vida não vão lhe custar muito dinheiro? Aqui vão algumas: abraços, amizade, sorriso, amor, família, boas lembranças e por aí vai. Há uma infinidade delas e tenho certeza que você terá outras tantas também.

Porém, como o nosso objetivo aqui é fazer que você tome CONSCIÊNCIA DA IMPORTÂNCIA DE UMA VIDA FINANCEIRA MAIS CONTROLADA, vamos dar uma outra leitura sobre este tema: há dois outros bons aspectos sobre ela:

1 – Há excelentes coisas na vida que o dinheiro simplesmente não compra!
Não estamos dizendo aqui que estas boas coisas custam pouco ou são de graça. Tem coisas que não há como comprar! A diferença é sutil, mas muito importante: isto mostra que realmente o dinheiro não pode ser a coisa mais importante na vida. Alguns exemplos:

Juventude: você pode fazer exercícios, plásticas ou cuidar muito da sua saúde. Entretanto, não há como comprar mais Juventude! Todos vamos envelhecer, o nosso tempo vai passar. O que nos resta é curtir cada fase da melhor maneira possível

Respeito e Admiração: você pode até comprá-los, mas serão falsos. Respeito e admiração verdadeiros são conquistados.

Confiança e Credibilidade: demora-se muito para obtê-los e podem ser perdidos muito rapidamente. Porém, nunca podem ser comprados.

 

melhorescoisas_interior

 

2 – Há excelentes coisas na vida que o dinheiro COMPRA SIM!
Isso mesmo, vamos mudar o paradigma de sempre achar que tudo o que nos deixa verdadeiramente feliz não precisa custar muito.

O fato é que há sim muitas coisas legais que custam um bom dinheiro! E não estamos falando de gastos exagerados, comportamentos consumistas ou busca da ostentação. Há coisas simples que, quando ‘incrementados’ com um dinheiro, ficam bem melhores.

Por exemplo, a Alimentação: é fato que é possível comer bem e de modo muito saudável gastando bem pouco. No entanto, se você tiver um pouco mais de dinheiro, é possível provar diferentes sabores, novas fragrâncias e sensações. Sem frescura nem deixando de lado a cozinha simples da “mamãe”, o dinheiro pode lhe dar acesso a novas experiências gastronômicas.

O Turismo é outro bom exemplo: ter dinheiro e tempo para conhecer novos países e culturas diferentes é sem dúvida um grande prazer para a maioria das pessoas. Com menos dinheiro, ainda assim é possível fazer turismo local e também alcançar uma grande felicidade. Porém, “vôos mais longos e extensos” exigirão mais dinheiro.

Saúde: boa parte de uma boa saúde é conquistada com atividades e posturas que custam pouco dinheiro, principalmente quando falamos de prevenção: fazer exercícios físicos, dormir bem, evitar comidas pouco saudáveis etc.

No entanto, no caso de uma eventual doença mais grave, o dinheiro fará uma grande diferença, principalmente no acesso a hospitais, médicos e medicamentos mais avançados.

Conclusão:
Não queremos de forma alguma acabar com a noção de que “As melhores coisas da vida são de graça”, mas somente dar um outro viés e mostrar que um pouco de dinheiro, sem exagero, não faz mal a ninguém!