Uma questão que é muito discutida e comentada em nossos dias é a dúvida sobre se dinheiro realmente pode trazer felicidade. Há argumentos de todos os tipos, a favor ou contra. No final, o ideal é sempre procurar o equilíbrio.

Neste sentido, vamos apresentar aqui uma dica de como buscar mais felicidade sem necessariamente gastar mais dinheiro. Pode ser que muitos de nós a pratiquemos de modo inconsciente. O objetivo aqui é conhecê-la melhor  e passar a aplicá-la de forma mais consciente.

O prazer ou a felicidade que temos em nossas vidas pode aumentar significativamente sem termos que gastar mais para isso. E um dos segredos é adicionar uma boa dose de “significado” em cada uma de nossas atividades diárias. Mas vamos a um exemplo para explicar melhor tudo isso.

Suponha que você vá fazer uma viagem de turismo. A primeira preocupação que nos vêm à mente é “quanto irei gastar?”. Destino, transporte, hotel, refeições, passeios … tudo custa dinheiro e a sensação geral é que se quisermos ter mais conforto, prazer e alegria na viagem, mais teremos que gastar. E isso é verdade, pelo menos até certo ponto.

Mas outro fator extremamente importante é a sua identificação com o lugar a ser visitado. Se eu disser que eu irei passar minhas férias em Lins, por exemplo, pequena cidade do interior de São Paulo, você provavelmente dirá: “Mas o que existe de tão importante ou interessante em Lins? É só para economizar dinheiro?”. Mas para se eu lhe disser que Lins é a minha cidade natal, que irei para lá para rever a casa onde nasci e passei a minha infância, a escola onde estudei e rever os amigos de infância, então a viagem começa a fazer sentido.

E isto serve para qualquer lugar. Por exemplo, se você for à Nova York pela primeira vez e, sem notar, passar pelo quarteirão onde um dia estavam localizadas as “Torres Gêmeas” (sim, aquelas derrubadas no atentado de 11 de setembro), pode ser que você passe meio apressado , correndo para chegar ao metrô mais próximo. E ainda irá reclamar da bagunça que está aquela região por causa das construções.

Mas se alguém lhe avisar sobre o que representa aquele lugar, provavelmente você irá passar o resto do dia lá, tirando fotos e refletindo sobre toda a história que representa aquela região.

Ou seja, para fazer uma viagem que realmente fique em nossos corações, não basta ficar nos melhores hotéis nem freqüentar os restaurantes mais caros. É preciso conhecer e se interessar pela história do lugar a ser visitado.

É algo parecido com o que ocorre com a música. Se você gosta de samba e detesta música clássica, não adianta gastar um mundo de dinheiro por um lugar privilegiado no Teatro Municipal para ouvir a melhor orquestra filarmônica do mundo! Você vai acabar dormindo depois de 10 minutos. Mas com certeza, os R$20 gastos em um bar com uma roda de samba serão muito melhor aproveitados!

Enfim, é possível aumentar o nosso prazer do dia a dia, aumentando o nosso conhecimento e envolvimento com cada atividade que fazemos. É preciso dar um “sentido” a cada momento que passamos nesta vida, e isto tem pouca correlação com o dinheiro que gastamos.

Colocar isso em prática é algo um pouco mais difícil, mas nada impossível. E vale a pena. Preste um pouco mais de atenção a cada atividade de sua vida, e busque uma inspiração para elas. Ou faça o contrário: busque uma atividade que lhe dê felicidade, seja no trabalho ou no lazer. E seja feliz, gastando menos!