O IPCA do mês de abril teve variação de 1,06%, 0,56 ponto percentual (p.p.) abaixo da variação de 1,62% de março, e 0,75 p.p. acima da variação de 0,31% de abril de 2021. Foi a maior variação para um mês de abril desde 1996 (1,26%). O grupo Alimentação e Bebidas foi o que teve a maior variação
e gerou o maior impacto, +2,06% e 0,43 ponto percentual, respectivamente. A inflação acumulada em 12 meses passou de 11,30% para 12,13%, bastante acima do teto da meta de inflação (limite de 2,0% a 5,0% para 2022). No gráfico abaixo, exibimos as variações ocorridas nos meses de abril desde o início do Plano Real.

 

 

A seguir, temos as variações mensais também desde 1994. Com a maior variação tendo ocorrido em novembro de 2002 com +3,02% e a menor em agosto de 1998 com -0,51%.

 

 

Com a variação de abril passando de 0,31% em 2021 para +1,06% em 2022, a variação acumulada em 12 meses passou de +11,30% no mês anterior para +12,13% neste mês. Há um ano, essa variação havia sido de 6,76%.

 

 

Alimentação e Bebidas foi o grupo com maior alta no mês

 

Com alta de +2,06% e impacto de 0,43 ponto percentual, Alimentação e Bebidas foi o grupo que apresentou a maior variação no mês, seguido por Transportes com 1,91% de variação (e impacto de 0,42 p.p.). Por outro lado, o grupo Habitação foi o que teve menor variação: -1,14%, seguido por Educação com 0,06%.

 

 

O resultado do grupo Alimentação e Bebidas foi causado principalmente pela alta de 2,59% nos preços dos alimentos para consumo no domicílio, cujo destaque foi o aumento de 10,31% do leite longa vida, que gerou impacto de 0,07 p.p. Já no grupo Transportes, o destaque ficou por conta da variação de 2,48% da gasolina, que gerou impacto de 0,17 p.p. No único grupo que teve variação negativa, Habitação, o destaque ficou por conta da queda de -6,27% nos preços da energia elétrica.
 

 

Rio de Janeiro e Aracaju foram as regiões com maiores altas da inflação no mês

 

Rio de Janeiro (com variação de 1,39%) e Aracaju (1,36%) foram as regiões com maior variação. Já Salvador (0,67%) e Goiânia (0,81%) foram as que tiveram as menores variações.

 

 

Transportes é o grupo com maior alta nos últimos 12 meses

 

Com alta de 19,7% nos últimos 12 meses, Transportes segue sendo o grupo com maior variação da inflação nesse período, seguido por Artigos de Residência com +15,34%. Por outro lado, Comunicação teve variação de 2,87% e Saúde e Cuidados Pessoais subiu 5,12%.

 

 

Curitiba e São Luís foram as regiões com as maiores altas nos últimos 12 meses

 

Com altas de 14,82% e 12,89% em 12 meses, Curitiba e São Luís registraram as maiores variações no acumulado dos últimos 12 meses. Belém e Brasília, por outro lado, tiveram as menores altas: 9,65% e 10,80%, respectivamente.