O IPCA do mês de agosto teve variação de 0,87%, abaixo da variação de 0,96% de julho, e acima da variação de 0,24% de agosto de 2020. O grupo Transportes foi o que gerou maior impacto, com variação de +1,46% e impacto de 0,31 ponto percentual. A inflação acumulada em 12 meses passou de 8,99% para 9,68%, acima do teto da meta de inflação (limite de 2,25% a 5,25% para 2021). No gráfico abaixo, exibimos as variações ocorridas nos meses de agosto desde o início do Plano Real.

 

 

A seguir, temos as variações mensais também desde 1995. Com a maior variação tendo ocorrido em novembro de 2002 com +3,02% e a menor em agosto de 1998 com -0,51%.

 

 

Com a variação de agosto passando de 0,24% em 2020 para +0,87% em 2021, a variação acumulada em 12 meses passou de +8,99% no mês anterior para +9,68% neste mês. Há um ano, essa variação havia sido de 2,44%

 

 

Transportes foi o grupo com maior alta no mês

 

Com alta de +1,46% e impacto de 0,31 ponto percentual, Transportes foi o grupo que apresentou a maior variação no mês, seguido por Alimentação e Bebidas com 1,39% de variação (e impacto de 0,29 p.p.). Por outro lado, o grupo Saúde e Cuidados Pessoais foi o que teve menor variação: -0,04%, gerando um impacto de -0,01 p.p.

 

 

A alta em Transportes teve como destaque o aumento de 2,80% da gasolina, que acabou gerando impacto de 0,17 p.p no índice geral. No grupo Alimentação e Bebidas, a principal contribuição ficou por conta da alta na Alimentação no domicílio, que passou de 0,78% em julho para 1,63% em agosto.

 

 

Brasília foi a região com maior alta da inflação no mês

 

Brasília(1,40%), Vitória (1,30%) e Curitiba (1,21%) foram as regiões com maior variação. Já Belo Horizonte (0,43%), Fortaleza (0,43%) e Rio Branco (0,54%) foram as que tiveram as menores variações.

 

 

Transportes é o grupo com maior alta nos últimos 12 meses

 

Com alta de 16,63% nos últimos 12 meses, Transportes é o grupo com maior variação da inflação nesse período, seguido por Alimentação e Bebidas com +13,94%. Por outro lado, Comunicação teve variação de 1,40% e Saúde e Cuidados Pessoais subiu apenas 2,63%.

 

 

Curitiba e Rio Branco foram as regiões com as maiores altas nos últimos 12 meses

 

Com altas de 12,08% e 11,97% em 12 meses, Curitiba e Rio Branco registraram as maiores variações no acumulado dos últimos 12 meses. Rio de Janeiro e Salvador, por outro lado, tiveram as menores altas: 8,09% e 8,59%, respectivamente.