Popularmente, a inflação pode ser definida como um aumento de preços de bens e serviços. Com isto, o poder de compra das pessoas passa a ser menor, o que significa que precisará de mais dinheiro para comprar as mesmas coisas. Uma coisa que sempre intriga as pessoas é a sensação de que os preços estão aumentando mais do que os números de inflação divulgados. Para compreender esta situação é preciso entender como os índices de inflação são calculados.
Há uma grande variedade de índices de inflação sendo divulgada no País, cada um abrangendo diferentes setores, regiões geográficas, segmentos econômicos etc. Os dois mais conhecidos são o IGP-M, bastante utilizado para correção de valores de contratos (entre eles, os de aluguel), e o IPCA, o qual é utilizado como a inflação oficial do Brasil e também como parâmetro para o regime de metas de inflação do Banco Central.

 

IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado)

Foi concebido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para ser uma medida que englobasse não só diferentes atividades como também as diferentes etapas do processo de produção. Este índice abrange indústria, construção civil, agricultura, comércio varejista e serviços prestados às famílias. A coleta de dados é feita entre os dias 21 de um mês e o dia 20 do mês seguinte. O IGP-M corresponde à média aritmética ponderada de três outros índices de inflação:
– Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), com peso de 60%;
– Índice de Preços ao consumidor (IPC), com peso de 30%;
– Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), com peso de 10%.

IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo)

É calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fundação pública vinculada ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. O IPCA reflete o custo de vida para famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos (independentemente da fonte de rendimentos), abrangendo as regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de janeiro, São Paulo, Curitiba, Vitória e Porto Alegre, além de Brasília e os municípios de Goiânia e Campo Grande. O período de coleta, geralmente, se estende entre os dias 1 e 30 de cada mês.

No gráfico abaixo, mostramos a variação mensal dos dois índices de inflação, IGP-M e IPCA.

Neste outro gráfico, exibimos a variação através de janela móvel de 12 meses.

Quanto à sensação de que a nossa inflação é sempre maior do que a divulgada pelo governo, parte da explicação se deve ao fato de nossa composição de gastos não ser a mesma da utilizada nos cálculos dos índices.

 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br