Segundo dados disponibilizados pelo Banco Central, a taxa de inadimplência nas operações de crédito para pessoas físicas com recursos livres subiu de forma acentuada em 2015, saindo de 5,31% em dezembro de 2014, atingindo 6,25% em janeiro de 2016 e 6,32% em maio. No entanto, em junho, esta taxa caiu para 6,14%, menor taxa desde nov/15 (5,96%). Quanto ao saldo destas operações, passou de R$ 800,9 bi em maio para R$ 799,6 bi em junho.

Nos gráficos abaixo, separamos as taxas históricas de inadimplência em dois grupos, lembrando que a definição de inadimplência envolve operações que registram atraso de 90 dias ou mais em seu pagamento. O primeiro exibe os dados referentes às operações de crédito com recursos livres (isto é, operações em que os recursos captados pelos bancos podem ser livremente emprestados, o que exclui as operações de crédito imobiliário) para pessoa física sem garantia, além da taxa referente ao total das operações. Já o segundo gráfico, exibe as operações com garantia.

Analisando as taxas de inadimplência para as principais modalidades de crédito para pessoa física, observamos que todas elas recuaram de maio para junho. No caso do rotativo do cartão, modalidade com maior taxa de inadimplência, ela passou de 37,47% em maio para 36,81% em junho. Situação semelhante é observada no cheque especial, com a inadimplência passando de 14,85% para 14,61%.

 

Taxa de inadimplência pessoa física – sem garantia jun-16

Taxa de inadimplência pessoa física – sem garantia jun-16

 

Já nas operações que oferecem garantia, o que significa um risco menor de perdas para os bancos credores, as taxas de inadimplência são bem mais baixas do que as das modalidades sem garantia, que aparecem no gráfico anterior. O crédito consignado para funcionários de instituições privadas é o que registra a maior taxa de inadimplência: 5,46% em junho, apresentando queda em relação a dez/15 (5,87%) e a maio 2016 (5,68%).

Em seguida, aparece o financiamento de veículos, com taxa de 4,54% em junho, o que representa uma baixa em relação a maio (4,66%), a qual era a maior taxa desde jul/14 (4,77%). Quanto ao consignado para funcionários públicos, registrou-se recuo na inadimplência, passando de 2,32% em maio para 2,18% em junho. No caso do consignado para aposentados e pensionistas do INSS, a inadimplência registrou leve baixa, passando de 1,72% em maio para 1,68% em junho.

 

Taxa de inadimplência pessoa física – com garantia jun-16

Taxa de inadimplência pessoa física – com garantia jun-16

 

Uma outra informação importante refere-se às concessões de crédito para pessoa física com recursos livres. Nos primeiros 6 meses de 2016, o volume concedido foi de R$ 847,9 bilhões, o que representa uma queda de -2,90% na comparação com o mesmo período de 2015 (R$ 873,2 bi). A queda seria ainda maior se considerássemos valores deflacionados. Com isto, o estoque destas operações passou de um pico de R$ 805,35 bilhões em dez/15 para R$ 799,58 bilhões em junho, uma queda de -0,72%. Em relação ao saldo de maio (R$ 800,89 bi), houve baixa de -0,16%.

 

Saldo e concessão de crédito recursos livres PF – jun-16

Saldo e concessão de crédito recursos livres PF – jun-16

 

Em relação às concessões por modalidade de crédito, no caso das operações sem garantia, o cheque especial apresenta o maior volume, com R$ 30,4 bi sendo emprestados pelos bancos às pessoas físicas em junho, R$ 1 bilhão a menos do que foi emprestado em maio. O rotativo do cartão também apresentou baixa no volume emprestado, na comparação entre maio e junho, R$ 26,5 bi vs. R$ 26,1bi, respectivamente.

 

Concessões de crédito pessoa física – sem garantia jun-16

Concessões de crédito pessoa física – sem garantia jun-16

 

No caso das operações com garantia, o maior volume foi concedido no Consignado para funcionários públicos, subindo de R$ 5,9 bi em maio para R$ 6,2 bi em junho, mas ainda bastante abaixo do recorde de R$ 10,4 bi de out/14. Situação semelhante ocorreu com o Financiamento de veículos, que passou de R$ 5,6 bi para R$ 5,9 bi, de maio para junho, nível bastante abaixo do recorde registrado em dez/14 (R$ 10,1 bi)

 

Concessões de crédito pessoa física – com garantia jun-16

Concessões de crédito pessoa física – com garantia jun-16