Não acredito em regras mágicas e simples para alcançarmos a nossa Independência Financeira, buscando uma vida sem dívidas e com um bom patrimônio pessoal. Mas se eu tiver que te dar somente uma dica, uma só, para lhe ajudar nesta busca, aqui vai: “Pague Tudo à Vista!”. Parece uma tarefa difícil? Bem, eu não disse que seria fácil … mas pelo menos é uma regra simples.

Muitas pessoas não fazem um Controle Financeiro ou um Orçamento Doméstico por acharem que tudo isso é algo muito complexo e que dá muito trabalho. Além disso, nem todo mundo tem a disciplina necessária para anotar e organizar todas as contas pagas e os valores recebidos.

Para estas pessoas, talvez o mais indicado seja começar com algo nada complicado, que não exija grandes esforços adicionais de controle. Nada de planilhas nem aplicativos na internet ou no celular. Não vou nem lhe pedir para anotar todos os seus gastos em uma folha de papel.

Gostou?

Pois é, a única coisa que você terá que fazer é seguir uma regra única, simples de ser entendida, que não exige nenhum cálculo matemático nem conhecimentos profundos de Educação Financeira.

E se você seguir esta regra, muito dos seus atuais problemas financeiros serão solucionados e outros tantos problemas futuros serão evitados. Não prometo nenhum milagre, mas você pode ter certeza que estará no caminho certo.

Qual esta regra? Pague tudo à Vista.

pagueavista_interior

E quando falamos ‘à vista’, quero dizer realmente à vista. Nada de cartões de crédito ou cheques. Use apenas dinheiro ou cartões de débito. No momento do gasto, o seu dinheiro irá diminuir de imediato, seja no seu bolso ou na sua conta bancária.

E se você não tiver dinheiro suficiente … bem, aí você não pode fazer o gasto.

Simples, certo? Claro, a implementação disso é mais complicada, principalmente para aqueles que estão acostumados a usar o cartão de crédito ou o cheque para ‘financiar’ algum desembolso de dinheiro.

Não estou dizendo que o uso do cartão de crédito seja algo ruim, já escrevemos várias vezes aqui sobre as vantagens deste ‘dinheiro de plástico’. Mas como estamos buscando a simplicidade e uma regra única, esqueça o cartão.

Alguns exemplos práticos (mas que são tentações para fazê-lo descumprir a regra)

Suponha que você precisa comprar uma geladeira nova: a sua atual está muito velha, pequena e gastando muita energia. Assim, a compra de um novo eletrodoméstico não é fruto de um delírio consumista, mas uma necessidade real que no mínimo trará uma economia maior de energia e mais conforto.

Mas apesar de estar coberto de razão para fazer a compra, você não tem dinheiro suficiente para pagar à vista. O que você faz?

….. 

Não compre!

Pois é, a regra é simples assim. Você pode ter inúmeros argumentos para parcelar ou pagar a prazo, mas “a regra é clara”: pagamento só à vista.

OK, sabemos que nenhuma regra é perfeita, assim esta nossa também terá suas falhas e exceções. Por exemplo, você não vai deixar de comprar um remédio importante se não tiver o dinheiro exatamente naquele momento.

Mas faça uma promessa: busque seguir a regra em 95% dos casos de compra. E depois de algum tempo, quando sua situação financeira estiver equilibrada e começar a sobrar um dinheiro para investimentos, busque novas estratégias!