Se você já investiu em fundos de investimento de Renda Fixa e DI, provavelmente já ouviu falar no “Come-cotas”.

Mas você sabe o que é isso? E o mais importante, sabe como ele influencia os seus rendimentos?

Bem, o “come-cotas” é uma espécie de adiantamento do imposto de renda que você deve pagar sobre os ganhos obtidos no investimento. Ela é aplicada sempre no último dia útil dos meses de maio e novembro.

Como tanto você quanto o governo só saberão qual será o valor do imposto devido no momento em que você resgatar a sua aplicação (lembre-se que o percentual varia de acordo com tempo que você deixa o seu dinheiro aplicado), no “come-cotas” é cobrado o percentual mínimo: 15% nos fundos de longo prazo e 20% nos de curto prazo.

Se houver alguma variação no percentual usado (por exemplo, se você resgatar o dinheiro antes de 180 dias e tiver que pagar 22,5% de imposto), a diferença é cobrada no resgate.

O nome “come-cotas” vem do fato de que esta cobrança de imposto se dá pela diminuição da quantidade de cotas que você tem no fundo de investimento. Isto é, ela não diminui o valor individual de cada cota do fundo, mas certamente diminui o valor total de sua aplicação.

Se não houvesse a cobrança do “come-cotas”, este valor continuaria na sua aplicação e os juros também seriam aplicados sobre ele. No curto prazo isto pode não tem grandes implicações, mas no longo prazo a situação muda.

Neste sentido, os fundos de previdência levam certa vantagem, já que não possuem o efeito “come-cotas”.