Há dois anos atrás fui comprar um liquidificador novo para a minha casa. Chegando na loja, encontrei uma variedade imensa de marcas. As características de cada uma não mudavam muito, mas os preços eram bem diferentes. E a dúvida era: será que a melhor opção é comprar o mais barato?

Buscar sempre o item de menor preço pode ser uma boa estratégia em grande parte das compras, mas nem sempre devemos seguir este caminho.

Por exemplo, no caso do liquidificador eu acabei comprando o mais barato, afinal não é algo que uso muito. O problema é que 6 meses depois, o aparelho parou de funcionar sem nenhuma ‘explicação’ aparente. Pensei: “ainda bem que custou barato”. Entretanto, tive que comprar outro.

Nesta segunda vez, optei pelo aparelho de melhor qualidade e com um preço maior. Estou com ele até hoje e não tive problemas. Se eu tivesse desembolsado um pouco mais na 1ª compra, teria economizado mais no total.

Manutenção do carro.

Um outro bom exemplo onde ser um grande “pão duro” não vale a pena é na hora de cuidar do seu carro. Neste caso, o que mais acontece é que atividades de manutenção simples como troca de óleo e filtros são ignorados. E quando realizados, escolhemos o óleo mais barato sem nem checar as especificações.

barato_caro_3_interior

Uma boa manutenção, com revisões periódicas, não somente lhe garantirá um automóvel mais seguro, mas também irá aumentar o valor de revenda.

Seguros.

A tentação de não pagar por um seguro (seja ele do carro, da saúde, de viagem, da casa, etc.) é grande, afinal você estará torcendo para não o utilizar de qualquer maneira. Porém o que deve ser analisado é o impacto que você terá em sua vida financeira em caso de sinistro.

Por exemplo, é comum passarmos 10 anos pagando o seguro do carro e nunca o utilizarmos. Suponha que você então decida não pagar a próxima renovação … e, logo no primeiro mês, o automóvel é roubado!

Além de ser chamado de grande azarado, como a sua vida seria impactada a partir daí? Você teria condições de comprar outro carro, sem desequilibrar sua vida financeira? Ou poderia ficar sem o carro por um tempo, até conseguir economizar para comprar outro? Se sua resposta for não para as duas perguntas, faça o seguro!

Aprenda a diferença entre Valor e Preço Baixo.

O “preço baixo” irá gerar uma grande alegria no momento da compra, afinal conseguir uma “barganha” é uma grande vitória. No entanto, este sentimento é de curto prazo.

Agora, se você comprar algo de “valor”, o sentimento de ter feito uma boa aquisição irá durar muito mais tempo. Não confunda valor com “o que está na moda”, nem associe o valor somente ao preço de um produto ou serviço: comprar um sapato de sola vermelha e pagar caríssimo por ele não significa que o seu valor é alto.