Um amigo meu tinha um método infalível para priorizar o pagamento das contas: jogava todos os boletos para o alto e aqueles que ficassem em cima da mesa, deveriam ser pagos sem atraso! Brincadeiras à parte, é bem provável que você já passou (ou irá passar) por uma situação de “aperto financeiro” momentâneo e aí não dá para pagar todas as contas. O que fazer?

Nestas situações você pode não estar endividado e nem inadimplente, mas por alguma razão (um imprevisto, por exemplo) os seus gastos aumentam muito por alguns meses e isto o leva a um desequilíbrio no seu orçamento. Uma solução imediata seria tomar algum empréstimo ou financiamento para fechar as contas. Mas você não quer fazer isso pois sabe que esta situação é passageira, no máximo 2 ou 3 meses.

Assim a solução é atrasar alguns pagamentos até que a situação volte à normalidade. Mas como priorizar os pagamentos e decidir quais serão deixados para depois?

A seguir listamos algumas dívidas que você deve tentar não atrasar, já que existirão outras penalidades além das multas e juros.

1. Pensão Alimentar

Esta ‘dívida’ não deve ser atrasada pelo simples fato de que ela é importante para os seus próprios filhos. E além disso o seu não pagamento pode levá-lo à cadeia.

2. Contas de Luz e Água.

Os valores destas contas podem não ser muito altas, assim vale a pena mantê-las em dia. Em caso de atrasos ou não pagamentos sucessivos, estes serviços podem ser cortados. E viver sem água ou luz nos dias de hoje é algo muito difícil.

faltou_dinheiro_contas_interior

3. Cartão de Crédito.

O principal problema de atrasar o pagamento do cartão é que serão cobrados juros altíssimos para rolar a dívida. Recentemente o governo definiu novas regras para o chamado crédito rotativo do cartão de crédito, visando diminuir esta cobrança e obrigando as instituições a oferecerem alternativas mais baratas.

Mas ainda assim tente não atrasar este tipo de pagamento. E de preferência, tente primeiro gastar menos!

4. Financiamentos que têm algum bem como garantia.

Em alguns tipos de empréstimo, o próprio bem que está sendo financiado é dado como garantia em caso de não pagamento. Isto pode acontecer com os imóveis e carros, por exemplo.

É claro que o bem não será tomado em caso de eventuais atrasos no pagamento. Se você conseguir regularizar a situação financeira em poucos meses, provavelmente você só terá que arcar com os juros e multas. Mas sempre é bom lembrar que esta é uma dívida importante e que pode custar o seu bem em caso de inadimplência.

5. Seguros Saúde e de Automóvel.

O não pagamento destes serviços causarão a suspensão da cobertura do seguro de maneira quase imediata. É claro que, diferentemente da água e da luz, até conseguimos viver sem estes seguros por algum tempo sem grandes problemas.

Mas o objetivo do seguro é exatamente o de nos proteger de acidentes que não sabemos quando irão acontecer. E pela famosa “Lei de Murphy”, eles ocorrerão exatamente no momento que você deixou de pagar o seu seguro!