É comum muitas pessoas entrarem em desespero devido a quantidade de dívidas e não saber por onde começar para iniciar os pagamentos e começar a colocar a vida em dia. Isso na realidade não é nenhum bicho de sete cabeças e sair das dívidas não é algo difícil como você pode estar pensando, mas certamente exigirá uma certa dose de disciplina e organização das finanças pessoais para acertar sua vida o quanto antes.

Existe um velho ditado que para quase tudo na vida há uma solução e isso é a mais pura verdade também para as pessoas que desejam aprender a sair do vermelho e não sabem por onde começar.

Se você recebeu alguma notificação onde consta que está com o nome sujo, não se desespere e tenha muita calma neste momento para conseguir refletir com muita lucidez das melhores alternativas que você deverá realizar o quanto antes.

Mas a sua dúvida neste momento deve ser: quais as dívidas que começo a pagar primeiro? As dívidas com taxas de juros mais altas?

Aprenda a organizar as dívidas por prioridade

Algumas pessoas acabam cometendo alguns erros em orientar a se efetuar o pagamento de dívidas somente analisando o aspecto das taxas de juros mais altas, mas vamos entender um pouco mais sobre isso ao longo do artigo e, por isso, é muito importante que leia até o final e que siga as dicas para organizar suas finanças pessoais e iniciar seu pé de meia o quanto antes.

Dica 1: Planilha Financeira

Para explicar esta situação de uma forma mais clara a todos, costumo perguntar se você quando resolver realizar uma tarefa como a limpeza do seu escritório ou de sua casa, se você limpa só um espaço pequeno ou se já limpa todo o ambiente que se propôs a realizar a tarefa? Normalmente as pessoas respondem que se limpar algo pela metade provavelmente a parte que estará suja, acabará sujando a parte que está limpa.

1_generico_interior

Ou ainda se você vê que seu carro está com algum problema em que é necessário realizar uma manutenção, mas você resolve empurrar com a barriga, o que acontece?

O seu carro provavelmente apresentará este problema e algum outro por consequência deste problema. A tendência é o problema se agravar e gerar outros problemas.

Mas essas comparações são para explicar algo que muitas pessoas deixam de realizar no dia a dia e é fundamental: organizar as suas despesas e receitas mensais em uma planilha financeira.

Somente depois de organizar suas finanças pessoais é que você poderá entender como está sua saúde financeira. Vamos supor que você perceba que todos os meses, não está sobrando nada, como você fará então para começar a pagar suas dívidas?

Se você percebeu que nos próximos meses não irá sobrar nada, pense em cortar despesas o quanto antes, pois só assim você terá estofo financeiro para começar a pagar o parcelamento de suas dívidas.

Dica 2: Organize as Dívidas por Ordem de Prioridade

Neste etapa você irá analisar cada dívida e organizar conforme as etapas a seguir:

1) Dívidas com Serviços Públicos

Lembre-se que mesmo algumas vezes as taxas por atraso no pagamento dos serviços públicos não sejam tão altas, se você não efetuar o pagamento poderá ter a energia elétrica de sua residência cortada ou até mesmo ter o serviço de água ou gás também cortados. Por isso, priorize sempre os pagamentos dos serviços de utilidade pública.

2) Dívidas com Bens em Alienação

Se você tem um financiamento de um imóvel ou até mesmo de um veículo que está com prestações em atraso, procure se organizar para efetuar estes pagamentos novamente em dia.

Vamos supor que você descobriu que errou em seus cálculos e não poderá mais arcar com o financiamento do imóvel. Neste caso, não há problema algum em decidir por não mais querer o imóvel, mas tente vender o quanto antes para conseguir recuperar alguma quantia investida na sua aquisição. O que muitas pessoas esquecem é que simplesmente acham que se abandonar o bem, seja um carro ou imóvel, você estará anulando sua dívida.

O que ocorre é que o bem vai a leilão e normalmente pagam um valor mais baixo que o valor de mercado e você ainda correrá o risco de ter que arcar com a diferença do valor e ter o nome sujo até terminar de pagar a dívida.

2) Dívidas por Taxas de Juros mais Altas

Por último, as dívidas que sobrarem, excluindo as hipóteses acima, é que devem ser organizadas pelas taxas de juros mais altas.

Dica 3: Origem das Dívidas

Algumas pessoas realizam todas as etapas acima e realmente conseguem colocar as finanças pessoais em dia e por consequência sair das dívidas, mas um tempo depois entram em novas dívidas e o ciclo do endividamento recomeça, por isso, é fundamental que entenda quais as origens das suas dívidas.

Algumas pessoas se endividam porque surgiu algo inusitado e teve que ajudar um parente, outras estão sempre gastando além da conta porque desejam estar sempre na moda. Busque entender os motivos que o levou a entrar nas dívidas por certamente estará sanando o problema em sua raiz e terá condições de manter suas finanças pessoais organizadas por muitos anos ainda.

Sobre este assunto há um filme muito interessante que recomendo a todos que se chama: Delírios de Consumo de Becky Bloom onde retrata exatamente este assunto e é ótimo para um bom debate em família.

Até breve!

Sobre a autora:
Cristiane Gouget é formada em Economia, pós-graduada em Gestão Fiscal e Tributária e mestranda em Economia Empresarial. Conhece o assunto Finanças Pessoais há mais de 10 anos e também é fascinada pelo Empreendedorismo. Fundadora do Blog Guarde Dinheiro, onde aborda assuntos como: Empreendedorismo, Finanças Pessoais e Economia.

DSC01080