Isto não é um xingamento, mas está longe de ser um elogio. O Hedonista é a pessoa que tem como principal objetivo a busca do prazer. É uma filosofia que surgiu na Grécia e seus idealizadores acreditavam que a vida tinha duas principais situações: a da dor e a do prazer. E, claro, a condição do prazer seria o único caminho para a felicidade.

De uma maneira geral, não há nada de muito errado na filosofia dos Hedonistas. Afinal, nada mais normal do que tentar buscar o prazer em todas as atividades da vida.

O problema é que é impossível atingir um nível de prazer total em 100% do nosso tempo. A vida é feita de momentos felizes sim, mas é também recheada de dificuldades, desafios, momentos de dor, incerteza e desconforto.

hedonista_interior

E como o prazer é viciante, o Hedonista se transforma em um caçador de pequenos prazeres, todos com curta duração. A construção do Futuro não está nos planos do Hedonista.

Na Educação Financeira, o Hedonista seria visto como aquele que busca a felicidade imediata em detrimento de uma aposentadoria mais tranquila. Existem vários comportamentos em nossa vida que podem ser considerados típicos de um Hedonista. Vejamos alguns:

1. Comprar a prazo ou no cartão de crédito, mesmo sem ter dinheiro.

Os financiamentos, sejam através de parcelamentos, cartões de crédito ou cheque especial, são a maneira mais fácil e rápida de se comprar tudo aquilo que ser quer … agora!

E cada vez que fazemos isso sem ter um lastro, um planejamento para pagar esta dívida, estamos destruindo um pedaço do nosso futuro tranquilo.

2. Não guardar dinheiro para aposentadoria.

Este exemplo é um dos mais clássicos. E não se trata somente de não guardar algum dinheiro, mas principalmente de não se ter nenhum tipo de estratégia ou de motivação para construir um patrimônio.

Não precisa ser necessariamente para a aposentadoria. Preparar-se desde jovem para a próxima fase da vida, como constituir família e ter filhos, exige alguns sacrifícios no curto prazo. Deixar alguns prazeres de lado é um destes sacrifícios.

3. Deixar tudo para fazer para última hora.

Por que será que é tão difícil estudar ou fazer algum tipo de trabalho? Dá um sono quase impossível de resistir. Mas é só ligar a TV ou começar a navegar pelas redes sociais que o sono passa na hora.

É por isso que postergarmos as atividades não prazerosas para o último momento possível. E na maioria das vezes, este “último momento” já é tarde demais.

Enfim.

O prazer é viciante e motivador. Mas viver somente do prazer não é sustentável. O segredo é mudar o nosso jeito de encarar a vida e buscar o prazer também em atividades que geram riqueza e que estão voltadas ao longo prazo.

Como exemplo, muitos atletas de nível olímpico relatam que suas melhores performances aconteceram quando o esporte lhes dava prazer. E eles tem que treinar por 4 anos para finalmente poderem participar de uma Olimpíada, ou seja, não é algo de curto prazo.