Será que estou economizando o suficiente?

Bem, essa é uma pergunta bem difícil de ser respondida, porque é o tipo de assunto que quase ninguém comenta:
– quem poupa pouco (ou está endividado), não quer que ninguém fique sabendo;
– e quem poupa muito, muitas vezes prefere ser discreto;

Além disso, não há um valor exato nem correto para se economizar. Ele varia de acordo com a situação de vida, objetivos, classe social e muitos outros fatores que variam de pessoa a pessoa.

No entanto, é muito importante fazer esse tipo de análise. Muitas vezes acreditamos que o simples fato de não estarmos endividados já nos garante o passaporte para o grupo dos que têm uma boa condição financeira. Porém, isso não é verdade. É necessário acumularmos uma poupança, seja para garantir uma aposentadoria tranqüila ou mesmo para ter uma reserva no caso de qualquer imprevisto.

O que podemos fazer é calcular um valor base, uma referência para que possamos refletir sobre o assunto. Assim, vamos tomar como exemplo uma pessoa na faixa dos seus 30 anos, que tenha começado a trabalhar lá pelos 18 ou 20 anos. E vamos chamá-lo de Silva, só para não deixá-lo sem nome.

Bem, no começo de nossa vida profissional o salário não é lá grande coisa e fica difícil guardar algum dinheiro. Então, vamos considerar que o nosso personagem fictício começou a economizar aos 21 anos. E, além disso, ele é uma pessoa bem equilibrada do ponto de vista de consumo (ok, talvez este não seja o “seu” perfil, mas lembre-se que estamos trabalhando com suposições, tudo bem?), ou seja, consegue guardar uma boa parte de seu salário.

Sendo assim, vamos considerar que:
– aos 21 anos, Silva conseguia economizar R$ 150,00 por mês.
– aos 23 anos, Silva ganhou uma promoção e passou a economizar R$ 450,00 por mês
– a partir dos 26 anos, a poupança mensal passou a ser de R$ 800,00
– e aos 28 anos passou a economizar R$ 1.300,00 mensais.

Agora precisamos definir qual é a rentabilidade que Silvio consegue para todo este dinheiro que foi poupado. Vamos ser conservadores e considerar que Silvio sempre tenha escolhido investimentos em renda fixa ou poupança, que não oferecem ganhos extraordinários, porém têm um risco menor. Para simplificar, vamos supor que seu dinheiro rendeu uma média de 0,5% ao mês.

Bem, jogando todos estes dados em uma boa planilha ou usando uma calculadora financeira, chegamos à conclusão que ao completar 30 anos o nosso amigo Silva tinha aproximadamente ….. R$ 85.000,00.

Só para exemplificar, vamos considerar uma outra situação de Silvio, supondo agora que a aos 26 anos ele se formou na faculdade, encontrou um ótimo emprego e teve uma carreira de grande sucesso com promoções no curto prazo. E, claro, que continuou poupando, sem gastar o excedente do salário!

Assim, o seu perfil de poupança mensal ficou assim:
– 21 anos: R$ 150,00 por mês.
– 23 anos: R$ 450,00 por mês.
– 26 anos: R$ 1.300,00 por mês.
– 28 anos: R$ 2.100,00 por mês.

Neste caso, em seu aniversário de 30 anos ele teria quase R$ 120.000,00!

Como podemos notar, os números podem variar bastante. Mas e você, quanto já tem poupado até agora? Será que este valor é razoável para a sua condição de vida e sua idade?

É muito importante fazer esta auto-análise, não importa em que fase da vida você esteja. Tarefa difícil? Pode parecer, mas vale o esforço. E para lhe ajudar ainda mais, na segunda parte deste texto vamos aprofundar um pouco mais este assunto e falar sobre alguns aspectos importantes a serem refletidos. Não perca!