Um atitude muito comum quando estamos trabalhando vigorosamente para cortar gastos e sair de uma situação de endividamento é cortar investimentos, e não exatamente as despesas. Qual a diferença?

Podemos dar um exemplo através de um paralelo com uma empresa. Imagine uma empresa de aluguel de carros que esteja começando suas operações. O proprietário da empresa tem que tomar uma série de decisões sobre onde e com o que gastar. Por exemplo, ele certamente terá que desembolsar um dinheiro na obtenção dos carros que serão alugados aos seus clientes. Isto seria um gasto ou um investimento?

Ora, estes carros serão os responsáveis por gerar as receitas desta empresa. Se o dono tentar economizar muito e comprar poucos carros, pode criar uma imagem muito ruim aos clientes que chegarem para alugar um carro e não encontrarem nenhum disponível! Ou encontrarem somente carros velhos e com problemas.

É claro que todo investimento também exige planejamento: se forem comprados muitos carros, pode ser que não haja clientes para todos eles. Mas o ponto que queremos explorar aqui é que nem todo desembolso de dinheiro é ruim. Quando sabiamente investido, ele retornará no futuro em maior quantidade.

Voltando à nossa vida, um dos investimentos mais importantes que devemos fazer é em nosso capital humano. O que é isso? De modo geral, para obtermos o dinheiro de forma honesta é preciso entrar no que chamamos de mercado de trabalho e nos esforçar bastante. Isto marca o momento em que passamos a trocar nosso TRABALHO por DINHEIRO.

Obviamente o quanto vale nosso trabalho depende do quão especial ele é. Se executamos tarefas simples, que qualquer um também é capaz, o seu esforço valerá pouco. Mas se conseguirmos realizar uma atividade que poucas pessoas fazem e que muitas pessoas precisam, então esse trabalho valerá bem mais.

Podemos chamar, de forma simplista, este trabalho de CAPITAL HUMANO. E o dinheiro que obtemos desse trabalho, chamamos de CAPITAL FINANCEIRO. É por isso que um dos segredos na obtenção de dinheiro está no capital humano! Quanto mais capital humano um indivíduo conseguir acumular, maiores as chances de ele conseguir gerar mais capital financeiro.

Assim, desembolsos de dinheiro (ou mesmo de tempo, que assim como o dinheiro não é ilimitado) que visam aumentar o nosso capital humano são na verdade investimentos, e devem ser cortados somente em caso extremos. Estudos, cursos, treinamentos, livros, atividades culturais e até esportivas, são todos exemplos de investimento em capital humano.

Neste sentido, até mesmo a compra de uma roupa nova, que será usada em seu local de trabalho pois este exige um boa apresentação, pode ser considerado um investimento. Mas isto não pode ser usado como desculpa e comprar várias roupas que no fim não são necessárias!