Mais uma vez analisamos os resultados dos principais fundos DI (curto e longo prazos) dos seis maiores bancos de varejo (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e HSBC), com valores de investimento inicial iguais ou inferiores a R$ 10 mil e plotamos no gráfico abaixo as rentabilidades de cada fundo em DEZEMBRO de 2011 em relação ao valor inicial de investimento. Traçamos também as rentabilidades do CDB a 80% do CDI, do CDI e da caderneta de poupança.

Como o período de análise é de apenas um mês, utilizamos a alíquota de imposto de renda (IR) de 22,5% para ajustar o rendimento da poupança (lembrando que ela é isenta de IR) de modo a poder compará-la com os demais investimentos, que são tributáveis.

Dos 36 fundos analisados que aceitam aplicações de até R$10.000 , apenas 6 apresentaram desempenho superior à poupança, o que significa que as rentabilidades líquidas no mês (descontado o IR de 22,5%) destes 6 fundos foram maiores que à da poupança.

Rentabilidade Fundos DI dez/2011 – até R$ 10 mil

Ao incluirmos na amostra os fundos DI que aceitam aplicações de até R$ 100 mil, vemos que estes tiveram rentabilidades superiores aos fundos anteriores, sendo que nenhum destes fundos apresentou rentabilidade inferior à poupança. Por outro lado, nenhum deles apresentou rentabilidade superior ao CDI.

Rentabilidade Fundos DI dez/2011 – até R$ 100 mil

Assim, para aqueles que tinham menos do que R$ 10 mil para investir por um período curto de tempo, é provável que a caderneta de poupança tenha sido uma boa alternativa de investimento. No entanto, vale lembrar que se o investimento for resgatado fora da data de aniversário, perde-se os juros do período entre o último aniversário e a data do resgate (no CDB e nos fundos isto não ocorre).

Para aqueles que possuem volumes maiores de recursos, vale bastante a pena pesquisar por CDBs-DI em busca de melhor rentabilidade (há bancos que oferecem retorno superior a 100% do CDI, mas algumas vezes sem oferecer liquidez diária). Outras boas opções disponíveis são as LCAs, LCIs e LHs, mas que geralmente não são oferecidas aos pequenos investidores.

Vale sempre lembrar que, à exceção dos fundos de investimento, os produtos acima mencionados são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o valor de R$ 250 mil por CPF. Como uma última dica, sempre procure se informar sobre eventuais tarifas e taxas cobradas ao abrir uma conta-corrente que lhe possibilite realizar investimentos.

No próximo post vamos mostrar como foi o desempenho destes fundos DI em 2011.

Quer ver se o seu fundo DI apresentou um bom desempenho? Confira o Comparador de Fundos DI do Minhas Economias para ver como ele foi.

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br ou entre em contato pelo formulário do site.