Um velho ditado já conhecido no mercado de ações é o famoso “Compre na Baixa, Venda na Alta”. Na verdade, isto se aplica também a vários outros cenários, incluindo aí a compra de Carros e Imóveis. Mas será que vale a pena aproveitar as grandes ofertas atuais destes 2 tipos de bens?

O mercado de veículos e o de imóveis (sejam comerciais ou residenciais) estão entre os que foram mais afetados pelo atual cenário econômico do Brasil. As vendas caíram drasticamente comparado com os anos anteriores, os estoques subiram e as demissões já iniciaram.

Neste cenário, resta às empresas destes setores realizar grandes promoções para vender o que já está produzido ou construído. É só abrir os jornais e revistas ou assistir à TV para ver os vários anúncios que prometem grandes descontos, preço de fábrica, juro zero ou brindes caros!

Mas será que vale a pena aproveitar estas liquidações?

Reconheço que a tentação é sim muito grande. Afinal, muitas das ofertas são realmente vantajosas do ponto de vista financeiro … pelo menos à primeira vista.

Mas vamos falar de alguns aspectos que você tem que analisar antes de tomar a decisão de tirar o seu dinheiro do bolso para comprar um carro ou uma casa.

Carro não é investimento!

Já escrevemos sobre isso em alguns outros ‘posts’, mas sempre é bom lembrar, já que uma das grandes ‘desculpas’ para se comprar um carro barato é que isso pode ser um bom investimento.

Não!

oferta_imoveis_carro_interior

Quem compra um carro bem barato sonha em revende-lo a um preço maior. Tudo bem se você tenha um loja de carro, aí estes é o seu negócio. Caso contrário, os vários outros gastos, fora o custo da compra, farão que você perca mais dinheiro do que ganhe, mesmo se conseguir um bom preço de venda.

Há a depreciação, IPVA, seguro, manutenção, gasolina, licenciamento …. Não caia nesta armadilha, carro não é investimento.

E imóvel, é investimento?

Os imóveis já têm uma possibilidade maior de se tornarem bons investimentos. Além da possibilidade da revenda e da valorização ao longo do tempo, ele pode ser alugado e se tornar uma renda extra.

Mas o cenário atual não inspira muita confiança. Além do fato dos imóveis terem tido uma valorização muito grande nos últimos anos (diminuindo a possibilidade de uma valorização maior ainda para o futuro), a demanda está baixa.

Assim, mesmo que os descontos neste mercado sejam realmente altos (e em alguns casos eles são muito bons mesmo), pense 100 vezes antes de adquirir um imóvel. E na dúvida, não compre.

Mas eu realmente preciso do imóvel ou do carro!

Bem, neste caso, a história pode ser outra. Se você realmente tem a necessidade de um novo carro ou imóvel, talvez este momento seja o ideal para adquiri-los.

Mas a necessidade tem que ser verdadeira. Por exemplo, se você precisa de um carro melhor para o trabalho, para viagens mais longas ou maior por causa da família.

Ou se você precisa se mudar e realmente está procurando um imóvel novo, talvez mais perto do trabalho ou em uma localização privilegiada.

E se ainda tiver um dinheiro sobrando …

Sempre falamos que é necessário ter um reserva para emergências, certo? E também falamos que dinheiro gera dinheiro, não é mesmo?

Pois é, aqui está um bom exemplo das vantagens de sempre se ter uma reserva financeira. Quem tem dinheiro e pode pagar à vista (ou pelo menos quase tudo à vista) tem uma grande possibilidade de obter descontos ainda maiores numa negociação.

Além disso, devido à recente alta de juros, vai economizar muito mais do que se tivesse que fazer um financiamento.

Mas e se eu tiver um dinheiro sobrando … mas não precisar dos bens?

A recomendação neste caso é não adquirir nada, mesmo que as ofertas lhe façam ‘chorar’ de vontade de gastar. Nestes tempos de juros altos e incerteza econômica, correr muitos riscos é só para os profissionais. Ou para quem tem muito dinheiro!