Conquistar a riqueza e a felicidade não depende da sorte: depende de seu esforço, dedicação e força de vontade. Este pelo menos é o senso comum que escutamos e seguimos todos os dias. E acreditar nisso nos dá um certo alívio, pois nos faz sentir donos de nosso próprio destino, ou seja, não dependemos do acaso para ‘nos dar bem’. E o nosso futuro só depende de nós.

Mas será que isso é 100% verdade?

Bem, “não existe a verdade absoluta”, diriam os puristas. E neste caso eles estão certos.

Sim, a sorte tem o seu papel em nossas vidas.

Infelizmente (ou felizmente), a sorte pode sim influenciar muitos aspectos de nossa vida, especialmente a riqueza. Em um primeiro momento isto pode parecer algo muito ruim: afinal, se eu trabalhar feito um louco, ainda assim corro o risco de ser um azarado e nunca ficar rico? A resposta é sim.

rico_sorte_interior

Estamos falando da Sorte do tipo “ganhar na Loteria”?

Não, não estamos falando dela, pois este tipo de sorte ocorre muito raramente.

Estamos falando daquela sorte mais corriqueira, que poderia ser encarada mais como uma coincidência comum. Por exemplo, estar em uma conversa com amigos e alguém comentar que quer alugar um apartamento que é exatamente na região e no tamanho que você precisa … e a um preço bem em conta. Que sorte!

O que fazer então? Ficar sentado e esperar a Sorte chegar?

Não, não faça isso. Muita gente ‘conta com a sorte’ para que algo bom aconteça. Esta estratégia é errada.

O que você deve fazer é estar preparado para quando a sorte chegar. Por exemplo, conheço pessoas que não se esforçam para aprender o inglês. Dizem que quando tiverem algo mais concreto, aí sim vão se dedicar.

Mas você não deve estudar o inglês somente quando tiver uma oportunidade. Você deve já se planejar e tornar-se fluente para, quando a sorte lhe bater à porta com uma oportunidade de emprego excelente no exterior, você não perder esta chance. Isto é estar preparado para a sorte.

Neste caso, seus amigos e parentes vão dizer: “Que sorte, conseguiu um emprego no exterior”. Mas você sabe que não foi somente uma questão de sorte.

Outro exemplo: fundos de investimentos em empresas ‘startups’.

Você provavelmente já ouviu falar em pessoas ou empresas especializadas em investir em empreendimentos ‘startups’.

A estratégia deles é investir em vários empreendedores que tenham um bom potencial de crescimento e lucratividade. Há claro sim um trabalho complexo para analisar e escolher quem fará parte deste grupo de empresas que receberá este investimento.

Mas estes investidores também sabem que sempre há o fator sorte ou imprevisibilidade: por mais que analisem uma startup, não há como ter certeza de que ela dará certo. É por isso que eles criam um portfólio de várias empresas iniciantes: 1 ou 2 delas vão prosperar e gerar lucro, as outras provavelmente vão fechar.

Enfim.

Enfim, a grande questão aqui é como lidar melhor com a Sorte ou com o Azar, de modo a minimizar os seus efeitos. Aceite-a como inexorável e saiba usá-la a seu favor.