A decisão de adquirir um imóvel não é simples e há vários aspectos e cenários a serem considerados. Por exemplo, se o mercado de imóveis está em baixa ou em alta, quais áreas e tipos de imóveis irão se valorizar no futuro, etc. Mas além disso é também muito importante conhecer os custos adicionais associados à compra de uma residência.

Na hora de colocar na ponta do lápis quanto dinheiro você terá que desembolsar, é necessário computar TODOS os gastos e não só o valor do imóvel em si. E estes valores adicionais não são baixos.

1. ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis)

Este é o principal imposto a ser pago e a sua alíquota varia de cidade para cidade. Mas ela pode girar entre 2% e 3% do valor do imóvel.

Por exemplo, para um apartamento de R$ 500.000, um ITBI de 3% seria de R$ 15.000! A responsabilidade do pagamento é de quem compra e não pode ser parcelado. Portanto, prepare o bolso.

2. Taxas Cartoriais.

Estas são as taxas e serviços cobrados pelo cartório para realizar a escrituração e o registro público do imóvel, e vai variar de acordo com o Estado e o valor do imóvel. Como uma média, para um imóvel de R$ 500.000 você terá que ter outros R$ 5.000 disponíveis.

imovel_custosadicionais_interior

Estes valores são tabelados, assim faça uma pesquisa para saber exatamente quanto você irá pagar.

3. Despesas com Financiamento.

Não estamos falando aqui dos juros, taxas e impostos cobrados em empréstimos e financiamento. Além destes, há gastos extras quando se trata de financiamento de imóveis. Por exemplo, há custos com Seguros e Taxas de Avaliação do imóvel.

Com relação ao Seguro, este valor normalmente já está incluso no chamado CET (Custo Efetivo Total) do financiamento, portanto nunca deixe de pedir este indicador.

Já a Taxa de Avaliação é tabelada, mas pode exigir outros R$ 2.000 da sua carteira!

4. Comissão.

Normalmente a comissão devida aos corretores de imóveis já está embutida no valor total de venda que você pagará ao dono atual, assim isso não acarretaria despesas adicionais.

Mas é bom deixar isso bem explícito durante a negociação.

5. Reformas, Mudanças, etc.

Nunca subestime a quantidade de dinheiro que você irá necessitar para reformar ou mobiliar a sua nova residência.

A regra conservadora é: faça um orçamento detalhado e depois de esmiuçar todos os possíveis gastos, some tudo e adicione mais 30%, no mínimo!