O noticiário está repleto de Previsões Econômicas para este ano … e elas não são das melhores. Tanto que muita gente gostaria mesmo é de fazer as malas e mudar para algum outro país mais próspero. Mas afinal, o quanto devemos acreditar nestas previsões? E como tirar o melhor proveito delas?

Realizar previsões é, antes de tudo, um exercício de planejamento. Elas são importantes pois precisamos estar preparados para tomar as ações necessárias, caso as previsões se concretizem. Por exemplo, se você tem uma viagem marcada para o exterior e as previsões indicam que o dólar continuará subindo, é importante se preparar para isso desde já.

Mas há uma grande dificuldade de se acertar estas previsões, principalmente na área econômica, onde os fatores que influenciam os principais indicadores são muito variados.

Por exemplo, em abril de 2015 as previsões indicavam que no final de 2015 a cotação do dólar seria de 3,15. E a previsão de inflação (IPCA) era de 8,12%.

Bem, na verdade fechamos 2015 com o dólar perto de 4 reais, e a inflação ultrapassou os 10%.

Mas então devemos simplesmente desconsiderar as Previsões?

5_generico_interior

Não! As previsões continuam a ser importantes para mostrar qual é a tendência da economia. E lhe ajudará no caso de decisões financeiras que devem ser realizadas hoje, como por exemplo na hora de escolher um investimento.

Mas também não precisa ficar totalmente dependente destas Previsões. Há várias outras ações a serem tomadas em sua vida financeira que não dependem destas previsões e que proporcionarão excelentes benefícios.

1. Mantenha a Disciplina Financeira.

Não importa se a economia está boa ou ruim, é sempre importante manter um Orçamento Doméstico atualizado e praticar o Controle Financeiro diariamente.

Parece fácil, mas não é. É preciso muita disciplina, pois estas tarefas não são nada agradáveis, pelo menos inicialmente. Mas à medida que os resultados aparecerem, você começará a tomar gosto por elas!

Assim, ao invés de ficar lendo todas as previsões econômicas diariamente, use parte deste tempo para se dedicar ao seu Controle Financeiro!

2. Continue a reduzir as despesas. Sempre.

Não adianta somente controlar as despesas, é preciso sempre procurar por possibilidades de economia e redução de custos. Como diz o ditado, ‘as despesas são como as unhas, se não forem cortadas elas crescem sempre’.

Muita gente começa a pensar em possíveis economias somente quando as previsões financeiras começam a ficar ruins. Mas o ideal é que esta atividade fosse feita sob qualquer circunstância.

Especialmente quando tudo está bem financeiramente, a tendência é aumentar muito as despesas. Não há problema em aproveitar a vida e comprar o que o dinheiro pode proporcionar. Mas constantes exageros são o início para um endividamento futuro.

3. Gerencie de perto os seus Investimentos.

Se você tem algum dinheiro poupado e ainda consegue fazer aportes frequentes em investimentos, você provavelmente está em uma situação financeira melhor que a maiorias das pessoas.

O segundo passo agora é fazer com que o dinheiro trabalhe ainda mais para você. Para isso é preciso que você estude e analise as diversas opções de aplicação e esteja constantemente avaliando a sua ‘carteira de investimentos’.

E isto também independe das previsões econômicas? Bem, é claro que as previsões, neste caso, são importantes para que você defina a sua estratégia de investimentos.

Mas tão importante quanto isso é estar sempre investindo em conhecimento do mercado financeiro e continuamente gerenciando o seu dinheiro.