Final de ano chegando e ainda não planejou a viagem de férias? Viajando por conta própria ou através de uma agência de viagens, é possível economizar em suas próximas férias. Veja algumas dicas de como economizar com refeições, passagens aéreas, transporte local, hospedagem, atrações turísticas e pacotes de viagens.

Com as facilidades que a internet hoje proporciona, ficou muito mais simples planejar a sua viagem do jeito que você bem entender e economizando um bom dinheiro. É claro que se você não tem paciência ou tempo para organizar sua viagem de férias, é muito mais cômodo utilizar os serviços de uma agência. Ainda assim, se você tem uma certa flexibilidade em relação às datas e aos destinos, também é possível conseguir economizar, mesmo usando os serviços de uma agência.

Dicas para economizar na viagem de férias

Dicas para economizar na viagem de férias


Para quem vai viajar através de uma agência de viagens


As grandes operadoras de turismo possuem sites onde é possível pesquisar os pacotes disponíveis e as datas de saída. Usualmente, quanto mais popular é o destino, maiores chances você terá de conseguir um bom pacote a preços mais acessíveis. Locais mais remotos e pacotes mais customizados quase sempre saem mais caros do que viajar por conta própria.

Se você não tem filhos em idade escolar ou não irá viajar com eles, evite os períodos de férias escolares, pois os preços costumam ser mais altos. O mesmo vale para feriados prolongados.

Já para para quem tem filhos em idade escolar, costuma sair mais barato viajar no início de dezembro (1ª quinzena) do que no período próximo às festas de fim de ano ou no início de janeiro.

Os seguintes sites de agências de viagem, entre diversas outras opções, podem ser bastante úteis:
CVC
Decolar
Submarino viagens
Expedia


Para quem vai viajar por conta própria


Organizar sua própria viagem certamente irá dar mais trabalho, mas, em geral, é possível gastar menos do que utilizando os serviços de uma agência, principalmente se você tiver restrições de datas e locais. Para estes viajantes, separamos as dicas para economizar com passagem aérea, transporte, hospedagem, alimentação e passeios.

 


Passagens aéreas


Sites como expedia.com.br, decolar.com, viajanet.com.br, submarinoviagens.com.br etc, permitem que você pesquise quais companhias aéreas oferecem os melhores horários e melhores preços para o destino requerido. Depois desta pesquisa, você deve verificar diretamente nos sites das companhias aéreas com preços mais em conta (ou melhores horários de vôos) o preço que eles cobram. Geralmente, os sites de viagens costumam cobrar uma comissão, que normalmente não é cobrada ao se comprar a passagem diretamente com a companhia aérea.

E, se você tem flexibilidade de datas, os sites das companhias aéreas costumam disponibilizar ferramentas para consulta de passagens mais baratas em datas alternativas. Outra facilidade oferecida é a possibilidade de comprar passagens usando milhas aéreas. Se você vai viajar fora de temporada, as chances de usar suas milhas são maiores, bem como de obter preços mais em conta. Dependendo do destino, programar a viagem para um dia de semana sai mais barato do que em fins de semana ou vésperas de feriados. Vôos em horários alternativos como final de noite e madrugada também podem ser encontrados com bons descontos.

 


Transporte local


Vai viajar em grupo? Se sim, considere a possibilidade de alugar um carro, especialmente se for viajar aos Estados Unidos ou ao Canadá, onde os preços de aluguel de carro costumam ser mais baratos do que em outros lugares do mundo. No entanto, se for ficar apenas em grandes centros urbanos, dirigir pode ser uma péssima ideia, por conta dos altos preços de estacionamento e dificuldade de locomoção, devido ao trânsito intenso. Estacionar na rua é cada vez mais difícil e ainda há o risco de se levar uma multa por desconhecer as regras locais de trânsito. Neste caso, dê preferência ao transporte público. Muitas cidades na Europa e na América do Norte oferecem bons descontos para quem for usar esta alternativa, especialmente para períodos mais longos. Há desde passes de transporte que oferecem múltiplas viagens até aqueles que permitem viagens ilimitadas em todos os tipos de transporte público por um certo número de dias.

Para quem gosta de se exercitar ou apenas curtir um bom passeio, em muitas cidades é possível (e bastante viável) alugar uma bicicleta. Em um dia ensolarado (ou, pelo menos, sem chuva) é uma ótima pedida para conhecer diversos cantos da cidade sem gastar muito.

 


Hospedagem


Além dos sites das grandes redes de hotéis (accorhotels.com, ihg.com, bestwestern.com etc), é possível reservar uma ampla variedade de hospedagem em sites como o booking.com, hotels.com, hotelurbano.com, airbnb.com, trivago.com.br etc. Além de poder filtrar por tipo, data e local, ainda é possível localizar os estabelecimentos em um mapa e ler os comentários de quem já se hospedou por lá, evitando assim entrar em uma roubada.

Em alguns deles, à medida que você usa mais o serviço, você passa a ter acesso a descontos e promoções especiais. No caso do Airbnb, para aqueles que querem conhecer o destino de viagem mais a fundo, é possível se alojar na casa de um morador. Para aqueles que estão viajando em grupo ou em família, e vão ficar em uma grande cidade por alguns dias, vale a pena alugar um apartamento com cozinha completa. Com isto, além de ser mais barato do que se hospedar em diversos quartos de hotel, é possível economizar nas refeições, uma vez que comer em restaurante é um dos itens de maior gasto de qualquer viajante.

 


Alimentação


Em muitas cidades, principalmente na Europa, há as opções de menu do dia, usualmente servidas no almoço (e incluem entrada, prato principal, sobremesa e uma bebida) e com preço muito mais em conta do que o do menu tradicional (do cardápio). Pergunte ao pessoal do local em que estiver hospedado para saber quais são os restaurantes populares frequentados pelos moradores. Em geral, são mais baratos e mais apetitosos do que aqueles voltados aos turistas. Outra forma de economizar é fazer sua própria comida ou comprá-la pronta na rotisserie dos grandes supermercados.

Quanto à bebida, na Europa e na América do Norte bebidas alcoólicas e sucos naturais são muito mais caros. E, não se esqueça de considerar a gorjeta no preço final. No Brasil, a gorjeta de 10% costuma vir na conta. Em alguns países, costuma-se pagar a conta e deixar gorjeta de 15 a 20% diretamente para o garçon.

 


Atrações turísticas


Antes de viajar, pesquise se há passes disponíveis para a maioria das atrações turísticas do local. Na maioria dos casos, para aqueles que pretendem passar alguns dias em uma única cidade ou região, estes passes oferecem um belo desconto em relação ao preço cheio total das atrações. Vale lembrar que algumas cidades já são uma atração turística em si e, em outras, há uma oferta enorme de atrações gratuitas. Por exemplo, em Londres, os museus não cobram ingresso e há diversos parques onde se pode passear sem gastar nada, além de serem ótimos locais para um piquenique (não no inverno, obviamente…). Um serviço bastante útil para pesquisar as atrações de um determinado lugar é o tripadvisor.com. Outro que também pode ser bastante útil é o Lonely Planet. Ambos os serviços possuem também suas versões em aplicativo. Neste quesito, aliás, vale a pena experimentar também o Google Trips.

 

Um homem precisa viajar, por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros e tevês, precisa viajar, por si, com os olhos e pés, para entender o que é seu …Amyr Klink

 

Caso queira comentar este e outros textos, por favor, encaminhe uma mensagem para contato@minhaseconomias.com.br